13 agosto, 2008

Carolina - Sexo, mentiras e cocaína...

Já tardava!
Depois de ter vivido através das revistas cor-de-rosa, durante um timing perfeitamente habitual nestes casos, o amor "avassalador" do costume que só o mundo do Jet-Set conhece (Pesa embora o facto de ser também o único amor conhecido nesse mundo...), passou-se entretanto os efeitos mediáticos dessa iniciativa e perante a sua manifesta inutilidade a Carolina Salgado não teve outro remédio senão voltar a levar com os pés por um namorado.
Não foi no cagueiro infelizmente, porque na verdade não passou de um apertão no braço seguido de um chega para lá, mas à semelhança do que ocorreu no passado com Pinto da Costa já terá sido mais do que suficiente para provocar hematomas na dita, justificando posteriormente uma chamada para a GNR de Fronteira afim de registar oficialmente uma denúncia de "Agressão doméstica".(Que mais não seja, servirá sempre para ganhar uns trocos mais tarde...).

O pretexto que o Francisco Rolo tanto ansiava e que para alívio deste acabou por se verificar, assentou no pedido de fornecimento de 1 bola de cocaína que supostamente a Carolina terá feito a uma das empregadas da estalagem Rainha D. Leonor do qual Francisco é proprietário tendo esta última decidido, em boa consciência e perante a gravidade do pedido em questão, revelar tudo mais tarde ao seu patrão.


Ainda durante este Show-time, foi apreendida uma arma ilegal de pequeno porte, que se encontrava no apartamento ocupado pela mãe de Carolina e que motivou a constituição em arguidos do casal já que nenhuma das partes assumiu ser legítimo(a) proprietário(a) da mesma.
Francisco Rolo disse ainda, quando contactado pela imprensa, que também ele, à semelhança do que já foi dito no passado pelo Pinto da Costa, terá sido atacado por um triste momento de estupidez na hora em que lhe deu para cair de amores pelos encantos da Carolina.
Não concordo!...A meu ver, a maior estupidez do Francisco Rolo foi não se ter tornado em tempo útil um leitor assíduo do "Trollitadas", porque se o tivesse feito, a esta hora não estaria a viver esta situação tão dramática já que ele teria perdido - com a máxima certeza! - qualquer pequena vontade que fosse de vir a conhecer um dia a Carolina.

Escusado será dizer que este episódio só beneficiou os interesses dos arguidos envolvidos no famigerado processo "Apito Dourado" (Em qual a Carolina é a principal testemunha..) já que desta forma a Carolina Salgado vai passando constantemente a imagem de ser uma pessoa "emocionalmente" instável (Uma eventual confirmação do seu consumo de Drogas poderá corroborar essa tese!) e dá azo para que futuramente a sua palavra possa ser posta em causa, deixando de poder ser considerada válida como possível testemunha num processo judicial.
Mas também a verdade seja dita, não se perde nada...

E agora Carolina? Who's next??

Sem comentários:

Enviar um comentário

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."