20 janeiro, 2009

Black Day for Ku Klux Klan lovers

Talvez tenha pifado de vez ou então, talvez seja apenas uma impressão minha, mas pese embora o facto de Portugal ficar distanciado uns bons quilómetros dos EUA, parece-me, ainda assim, ter a leve sensação de conseguir ouvir, à partir daqui, umas vozinhas perdidas lá no Texas a gritar efusivamente: "Oh Obama! Ganda Bakano!..Passa por Ká Kalker dia no Texas Ke a gente está louka para Kobrir-te de beijinhos fogosos...sim, sim fogosos...kom bastante lume mesmo!"



Piadas à parte, Obama Barack lá conseguiu - sem que existissem problemas de maior - tomar posse do seu mandato como 44º presidente dos Estados Unidos da América, discursou na plateia perante milhões de espectadores e ao contrário do que era esperado...desiludiu, e as Bolsas de todo o mundo começaram logo todas a cair....hehehehe
Mas por um lado até que foi bom. As expectativas criadas à volta de Obama eram surreais.
Ora, como toda a gente ajuizada bem sabe, tudo o que nasce acaba por morrer, tudo tem um início e um fim, e quanto maiores forem as expectativas...maior será mais tarde a desilusão. O tombo.
Logo, mais vale a gente se precaver, e já que o negócio é cair qualquer dia, mais vale começar a cair logo nos inícios, devagar, aos bocadinhos, porque assim já estamos meios curvados e quando acontecer o tombo derradeiro, o estandarete nunca será muito grande....e as feridas nunca serão de grande gravidade.

Coitado do homem. Mas que missão ingrata recaiu sobre ele. Vitima de si próprio, da cor da pele que lhe cobre o rosto, a sua margem de erro nunca será igual ou equivalente a de todos os outros que governaram antes dele. Qualquer falha que eventualmente cometa durante a sua governação será imediatamente causadora de um: "Eu não te disse que ele ia ser um fiasco?".
Toda a gente espera demasiado dele. Toda a gente espera ganhar contrapartidas com ele. Mas se somos todos diferentes, se meio mundo é inimigo do outro meio...como se conseguirá agradar toda essa gente?
Não se consegue. Ninguém consegue.
E já por isso, acredito com toda a convicção de que Obama desiludirá mais do que qualquer outro presidente até hoje. Tem pouca margem de manobra, dado que apenas metade da América encontra-se do lado dele. Precisa imperativamente de conquistar a "outra metade", isto claro, se pretender reduzir os riscos de se tornar, também ele, um novo Kennedy da era moderna.
Mas para conquistar a "2ª metade", terá que se "desmazelar" um pouco em relação à 1ª...aquela que o elegeu.
Passará de Bestial à Besta num ápice, acreditem, e é bem possível que venha a ser mais odiado do que o próprio George Bush, o seu antecessor.

Mas vamos lá ver no que isto dá.



7 comentários:

NI disse...

E eu é que sou a pessimista.

Estamos conversados.

Bj

Francisco o Pensador disse...

Nina, isto não é péssimismo...é realismo.

:-) Bjs

Sadeek disse...

Andas bonito andas, ó Pensador!!!

Mas não há nada que te anime?! :D

ABRAÇOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

NI disse...

Sadeek, põe-lhe a Angeline à frente que vais ver a animação.

:-)

Bjs

Francisco o Pensador disse...

Sadeek, Mas que te leva a crer que ando a sentir-me desanimado?
Acredita companheiro, o mundo da política não consegue provocar-me comichão quanto mais desânimo.
Apenas manifestei a minha visão do que vai acontecer daqui para a frente, tentando ser o mais realista possível dentro do sentido de humor que me caracteriza e não me deixando seduzir pela notória histeria colectiva que invadiu praticamente todos os sectores da sociedade.
Tenho lá culpa de ser Ateu e não acreditar em Messías?
:-) Abs

Nina, Desculpa mas estás redondamente enganada. Se me pusessem a Angelina à minha frente, quem correria os riscos de andar animada era ela....hehehe
:-))) Bjs

Tinta Permanente disse...

Pensador, um passinho de cada vez... como os bébés.
;)

Francisco o Pensador disse...

Tinta, Essa dos "Bébés" fez-me lembrar uma famosa frase do Eça do Queiróz quando convidado a definir o mundo da política:

«Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pelas mesmas razões»

:-) Bjs