01 dezembro, 2010

De Restauração já só se conhece os Cafés e os Restaurantes...



O 1º de Dezembro ou também conhecido por dia da Restauração da Independência, celebra o início da mais célebre revolta ocorrida em solo lusitano, no longínquo ano de 1640.
Diz-se que na época (que eu não estive lá para ver), Portugal era fustigado por uma onda de ataques constantes tanto no seu território como na sua frota marítima, que por sua vez seriam causadores de um descontentamento generalizado da população, com especial destaque para a burguesia existente que se via cada dia mais pobre, mal tratada e esquecida ás mãos da dinastia Filipina.(uiii.. que peeeeeena!).
Os nobres também não gozavam de melhor situação. Tinham perdido a maior parte dos seus privilégios e estavam a ser remetidos ao esquecimento, causado em parte pelo seu natural afastamento - demográfico - da corte que estava situada em Madrid.
Mas para a nobreza, essa situação seria intolerável na medida em que eles se negavam terminantemente a receber da corte Espanhola, o mesmo desdém que usavam direccionar ao seu próprio povo.
Era demasiado humilhante. Convenhamos que ser cão é uma coisa, mas cães de classe tem privilégios e tem que ser tratados de forma distinta.
E foi então que nasceu esta ideia da revolta e a vontade de derrubar os representantes do rei em Portugal. Após algumas reuniões realizadas secretamente (Para fazer "complots" e facadas nas costas, ninguém nos bate pá!), ultimaram-se os pormenores para o início de uma guerra que durou 24 anos e que culminou na mais estrondosa vitória que o povo Português logrou alcançar ao longo da sua história.

Conto tudo isto porque tenho o pressentimento de que hoje, já quase ninguém sabe ou liga sequer para esta história.
Para o cidadão comum, este é só mais um feriado e pronto.
" É passado pá! Queremos lá saber dos hérois e dos barões assinalados! Venham dai é mais feriados para a gente poder curtir uma "Night" e beber uns "Shots" na Disco."

E é por isso que, passados que foram estes 350 anos desde a data dos acontecimentos, tenho tendências a achar que o Dia da Restauração da Independência nunca fez tão pouco sentido como nos dias que correm. Creio que num futuro não muito distante, ele está claramente condenado a desaparecer.
Quem hoje consegue atrever-se a dizer frontalmente - e sem correr riscos de parecer hipócrita -  que ama a sua pátria e que se orgulha em ser Português?
Sejamos honestos. Hoje limitamo-nos a cantar o hino quando joga a Selecção e só metemos a mão no peito quando o Mourinho festeja 10 anos de carreira ou quando o Cristiano Ronaldo marca 2 ou 3 golos num qualquer jogo de futebol.

É pena sim, mas são apenas reflexos destes tempos que vivemos e que os políticos tão orgulhosamente alimentam...

5 comentários:

  1. Pois podes-me chamar hipócrita à vontade mas eu tenho um orgulho enorme em ser sar dos "chicos-espertos" que grassam por aí.

    Temos uma história da qual só nos podemos orgulhar.

    Principal defeito? Termos barriga de ricos e bolsa de pobres. Mas temos uma capacidade única de dar a volta por cima das situações mais complicadas e,ainda mais importante, com poucos recursos cnseguimos fazer pequenas maravilhas e estar à frente de grandes potências como é ocaso, só para dar um exemplo, das energias renováveis.

    Sou portuguesa e tenho um orgulho enorme.

    Nota - Também vibro com a selecção nacional.


    :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Eu lembrei-me... eu! eu! (a saltar a trás de uma multidão a ler o teu post)

    E concordo contigo: a falta de orgulho em ser português anda de braço dado com o que os políticos fazem e nos fazem passar...

    P.S: Não vou à "bola" com o Mourinho e quanto ao Cristiano Ronaldo, não ponho a mão no peito, apenas olho de soslaio e balbucio algo do género: "Só na Selecção é que não tens tanta pontaria"...

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Nina, como poderia te chamar de hipócrita se te conheço bem e sei que sentes cada palavra dita por ti?
    Generalizei, obviamente. Embora conheças bem a minha opinião à este respeito e saibas que este meu "generalizado"...

    Podemos nos orgulhar da nossa história, mas já o mesmo não se pode dizer do presente. E é no presente que vivemos Nina.
    O passado não paga as minhas facturas...

    :) Bjs

    Angelik, Está visto que Portugal precisa de nós os dois no seu panorama politico, a ver se conseguimos pôr isto nos eixos....hehehe

    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Optimo!
    Deixa-me só dar um pulinho à fármacia para comprar o que é necessário e podemos ir.
    Não sei quantos políticos existe em Portugal, mas 10 litros de Vaselina devem chegar...hehehehe
    :)

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."

Pensador vai às compras...

Sabem aquela sensação horrível que temos por vezes quando estamos na fila de um qualquer Hipermercado e estamos a modos que enervados, ...

Para recordar...