02 janeiro, 2011

Sim...foi Natal.

Algures por Viana do Castelo, enquanto o Bispo local choramingava em entrevista concedida ao JN de que as políticas de combate à pobreza "não têm sido as melhores" (Desde há muitas décadas caro amigo...), um homem - tocado pelo desespero de quem não tem trabalho, tem a mulher doente e vive de restos que encontra no lixo - liga para uma rádio local e em vez de um disco pede um pouco de comida.Os ouvintes (uma dezena deles pelo menos...) sensibilizam-se e ajudam o sujeito a passar uma consoada mais digna com um bonito cabaz de Natal repleto de coisas boas e deliciosas, desde o glamouroso Bacalhau até ao não menos vistoso Abacaxi.
Uma atitude que deixou todo o mundo feliz. O cabaz acabou por ser um justo prémio para quem logrou publicitar gratuitamente a Rádio Geice com uma história tão comovente que quase parecia caída do céu e amanhã...bahh!..amanhã já não é Natal, logo, já ninguém sentirá a necessidade de se preocupar com isso.
Para o ano é seguro que haverá mais, e até lá ...esforcemo-nos para mantermos o caixote de lixo sempre bem apetrechado para que o homem possa continuar a sobreviver.

Mais abaixo, desta vez algures perto de Famalicão, enquanto a Rádio Renascença noticiava que os portugueses mais ricos ganhavam seis vezes mais do que os mais pobres, vários operários foram forçados a passar a consoada (e muito possivelmente o Ano novo..) à porta da empresa Ayt-Montagens Eléctricas SA , da qual foram despedidos há cerca de um mês atrás e que tinha intenção de "lapidar" uma parte substancial do seu património, nomeadamente vários equipamentos da fábrica, tais como geradores, abre-valas, compressores, camiões, carrinhas, gruas, etc...para que os mesmos não fossem utilizados para o pagamento dos salários que ainda estão em atraso e as respectivas  indemnizações que os trabalhadores tinham direito.
Como podem todos ver, estamos perante mais um triste caso de vida, que parece ganhar moda um pouco por todo o país nestes últimos anos, e já por isso, gostaria de aproveitar este singelo post para dar o meu abraço sentido e expressar a minha solidariedade para com o dono/gerente da empresa Ayt-Montagens Eléctricas SA que, nesta hora dramática, deve estar a viver na mais profunda das agonias por saber que vai ter que pagar alguma coisa a quem deve.
Ou por outras palavras, o maior pesadelo de qualquer empresário português.

Mais abaixo ainda, desta vez em Felgueiras, enquanto o Ex-vice-presidente da câmara João Garção devia estar ainda à procura do maldito parecer que supostamente justificava as verbas atribuídas pela câmara municipal ao advogado Artur Marques e que mais tarde serviram para pagar a defesa da Ex-autarca Fátima Felgueiras em alguns processos de "Corrupção, participação económica em negócio e abuso de poder" em qual esteve ou continua a estar envolvida...uma mulher de 39 anos foi atropelada mortalmente à saída da fábrica de calçado onde trabalhava por um "vadio-come-merda-qualquer" que devia estar com pressa de juntar-se à sua família e não teve quaisquer problemas em deixar um miúdo de 6 anos sem a sua mãe.

Em Tomar, enquanto algures no oceano Índico o Cristiano Ronaldo passava um natal...diferente (que é como quem diz, sem ser debaixo das saias da mãe dele)...com a sua noiva Irina Shayk num dos mais caros, luxuosos e exóticos resort das Maldivas, o The Rania Experience (Em que 1 semana de estadia só custa a módica quantia de 50 mil euros, uma pechincha..), várias famílias afectadas pelo Tornado de 7 de Dezembro, passam a consoada debaixo de uma cobertura de plástico - que como toda a gente sabe, abriga de tudo até do frio - enquanto desesperam pela rapidez de apoios prometida pelo governo .
Este caso chocou-me particularmente na medida em que fiquei a saber que, em pleno século XXI, ainda existe gente que acredita em promessas de políticos e/ou governos. Imperdoável digo eu.

Bem, genericamente, foi este o Natal dos Portugueses. Nada de novo neste caso.
E o meu Natal?
Bahhh....o meu Natal....



O meu Natal também não foi nada de novo, quando muito, foi apenas mais uma fotocópia do que tem sido estes últimos 3 ou 4 anos.
Lá por casa andou tudo doente. O mais novo apanhou uma bela Amigdalite, o primogénito levou com uma Laringite, a minha Jolie acordou engripada (tendo ganho posteriormente uma infecção qualquer no esófago segundo as palavras do médico) e a minha sogra essa...já anda engripada da mioleira desde o dia em que nasceu.
Com remédios para todos os gostos e feitios, desde simples antibióticos, anti-inflamatórios, anti-histamínicos, anti-comichões no rabo (mas que raio faz este aqui?), anti-porras que nem sei para que servem, viagra (Upss...), xaropes para a tosse, gotas para os olhos, inaladores, Brufens, Ben-u-rons, um enxoval de genéricos (estando a maioria fora do prazo de validade..) e até a porcaria duns supositórios tenho cá!. Arfff!
Enfim! o meu quarto parece ter-se transformado de repente num espécie de mausoléu da farmácia.

Em véspera da consoada fui buscar o meu telemóvel à loja de reparações e arrotei logo com 20 Euros, no regresso fui ao Pingo Doce da Póvoa para comprar um Ferro de engomar novo uma vez que o velho tinha queimado há dias devido a problemas de humidade e arrotei mais 40 Euros. Chego à casa com aquele sorriso orgulhoso do "bom marido que está prestes a fazer uma surpresa à sua chérie" e recebo logo nas fuças a notícia de que o patrão dela, embora tenha tido a generosidade de oferecer a todas as empregadas uma garrafa de champanhe "Semedos" e outra de vinho do porto "Tony Tawny" (2 euros a dúzia na loja do chinês...deu para fazer sabão...), não pagou porém o 13º mês (para juntar ao calote do subsidio de férias que também ainda não foi pago) e que a nossa varinha mágica também tinha queimado, elemento fulcral para se fazer as futuras sopas dos miúdos.Enfim, mais uma dorzinha de cabeça aqui para o martelão e mais 30 Euros que foram para o maneta.
O natal bem poderia ter-se tornado facilmente no pior dia do nosso ano...se não tivéssemos recebido um envio postal inesperado. Envio esse, que por sua vez, seria porta-voz de uma mensagem linda...inscrita num simples mas não menos lindíssimo postal de Natal...

"Queridos Amigos,
É no Natal que permitimos que o melhor de nós venha ao de cima e, por momentos, esquecemos os obstáculos que a vida nos coloca.
É nesta altura que mais valorizámos estar com aqueles que mais amámos, independentemente do que se tem ou do que se pode dar porque partilhamos sobretudo afectos.
A melhor prenda que podemos receber é ter a família e os amigos sempre ao nosso lado.
Um Feliz Natal para todos e que, apesar de todas as notícias em contrário, o Ano de 2011 seja pleno de realizações pessoais e profissionais."

Esta Nina é incrível. Voltou a salvar-me...mais uma vez.
Jamais encontrarei palavras que possam definir com total justiça o grandioso coração desta miúda. É a amiga que todos sonhamos ter mas que poucos tem o privilégio de conhecer.Só por isso, sei que sou um verdadeiro afortunado. Um privilegiado entre os homens.
Sabem aquela sensação que se sente quando vemos certas palavras surgirem no preciso momento em que mais se necessita delas? Pois, foi exactamente isso que aconteceu.
Durante a ceia de Natal meditei muito sobre estas palavras, no valor da amizade, no prazer de dar sem nunca esperarmos nada em troca, no amor incondicional, na satisfação de sabermos que somos importantes para alguém, e que esse alguém continuará a gostar de nós do jeito que somos, mesmo conhecendo as nossas limitações, os nossos defeitos, ou resumindo...tudo aquilo em que acreditava até hoje mas que o tempo parecia determinado em fazer-me esquecer.
Na imensidão da noite, um calor sereno aqueceu o meu coração frio. Tão sereno quanto pode ser o amor.
Observando a minha família, que mesmo doente continuava a mostrar-se unida à minha volta, não pude evitar sorrir. Senti-me em paz...senti-me no meu lar..senti-me seguro...senti-me feliz. Que mais pode um homem pedir?
Olhei para a minha Jolie, apertei-lhe a mão, pisquei-lhe um olho. Porque sempre fomos e continuaremos a ser assim...Eu para ela, ela para mim, e nós os dois para os nossos filhos.

É isso mesmo minha gente...
Tenho consciência que sou minúsculo neste mundo, mas enquanto sentir o meu coração bater e tiver um pequeno fôlego de vida dentro de mim, lutarei com todas as minhas forças por algo maior do que tudo isto. Maior do que o mundo e tudo o que existir à sua volta. A minha família.

Mas entretanto....posso sempre continuar a explorar a parte mais divertida...




Obrigado Amiga.

5 comentários:

NI disse...

E fico contente pela minha mensagem ter sido, de facto, vivida.

O que escrevi foi sentido e tu sabes isso.


Nota 1 - Espero que as doenças tenham ido dar uma volta ao bilhar grande.

Beijo

Francisco o Pensador disse...

Sim Nina, a tua mensagem foi intensamente vivida e não poderia ter chegado em altura melhor.
E claro que também sei o quanto és honesta e sentes cada palavra que dizes. És um amor e sei que também tu sabes disso.

Quanto às doenças...qualquer dia irei te contar - em privado - de que forma terminou a minha passagem de ano, mas até lá acho que preciso de ganhar um pouco mais de coragem.
Uma coisa garanto, é das tais coisas em que nunca me atreverei a fazer um post.
Mas não obstante a tudo isso, se é verdade que elas (as doenças) não deram uma volta ao bilhar grande, eu pelo menos dei.

Bom...não foi bem uma volta...hehehe

Bjs

:)

NI disse...

Ahahahahahah

Acho que vou prescindir de saber de que forma deste a volta ao bilhar grande.

Beijo

S* disse...

Sabes que eu trabalho na Geice e fiquei muito contente com o desenvolvimento desta história. Ainda hoje algumas pessoas estão a ajudar esse casal.

Francisco o Pensador disse...

S, mas que coíncidência mais surpreendente!
Se o dizes, acredito em ti e fico feliz de saber que o caso deste casal tornou-se em algo mais do que uma simples moda Natalícia..

:)