23 fevereiro, 2011

A queda dos Tiranos...

Muammar Kadafi, o chefe de Estado e líder do movimento revolucionário que a 1 de Setembro de 1969 realizou eficazmente um golpe de Estado contra o rei Ídris I (Mohammed Idris al-Senussi ), tendo deposto o monarca, e que desde essa data tem comandado os destinos da Líbia com mão de ferro, declarou ontem à sua nação que estava disposto a morrer como mártir e a massacrar, caso venha a ser necessário, todos os manifestantes responsáveis pelos distúrbios ocorridos no País nestes últimos dias.
Inteirando o seu povo de que tenciona manter o poder até as últimas consequências (última gota de sangue), este discurso ficará marcado na história como um dos mais "camuflados" exemplos do Absolutismo.
Apesar de mau, tirano, e cruel, Kadafi é tudo menos estúpido. O homem que o presidente americano Ronald Reagan (1981-89) chegou a apelidar de "Cachorro louco do Médio Oriente", e que a 21 de Dezembro de 1988 autorizou a sangue frio a derrubada dum avião Boing com 270 passageiros à bordo, sabe muito bem, após os recentes exemplos que surgiram na Tunísia e no Egipto, que a sua cabeça também ficou a prémio e que se arrisca a perder todo o seu império (apesar de negar a sua existência) nas próximas semanas caso não faça nada para inverter o rumo dos acontecimentos.
O seu discurso foi sintomático de um pessoa desesperada. De uma pessoa que está prestes a comer capim pela raiz e que quer levar o maior número possível de inimigos juntamente com ele. O discurso de uma pessoa vingativa.
Não sei se o Kadafi tenciona cumprir as suas ameaças (oxalá que não), mas se cumprir, oxalá os seus misseis tenham sido fabricados no Iraque ou no Afeganistão, e em vez de cair em cima dos manifestantes, façam algumas acrobacias/curvas sinuosas lá no céu e venham a cair em cima da cabeça dele.
Mas porquê que a mãe natureza traz estas aberrações ao mundo?

3 comentários:

Tinta Permanente disse...

Um déspota esclarecido. Costumo dizer "cães que ladram ao vento"...
Abraço,
T

NI disse...

O problema é que desaparece um e aparecem logo dois.

Francisco o Pensador disse...

Tinta, Cães que ladram ao vento...tornam-se moinhos com o tempo?....hehehe
Um abraço também para ti. :)

Nina, Nessa caso...acho que Portugal também enfrenta o mesmo problema..
Eu sempre disse que os Portugueses tinham ascendência árabe :)))
Bjs