22 junho, 2011

Eis o novo salvador da pátria...


Pedro Passos Coelho ainda não tinha sido empossado como Primeiro Ministro do XIX Governo Constitucional de Portugal (faltava um dia) e já conseguia averbar, em plena Assembleia da Republica, a sua primeira derrota politica.
Não sei se este "tropeço" teve o propósito de servir de praxe para governantes indigitados em vias de serem empossados, ou se o Passos teve apenas a intenção de ter um primeiro contacto com aquilo que será a sua nova realidade nos próximos quatro anos, mas que isto promete..lá isso promete...

2 comentários:

S* disse...

Foi muito mau para o PSD. Admito que simpatizo com o Nobre.

Francisco o Pensador disse...

S*, acredita que não há nada neste mundo que seja suficientemente mau para que consiga atingir a desavergonhada honra dos partidos politícos.
Na minha opinião, foi apenas mau para o Fernando Nobre que, inesperadamente, viu-se privado do "Tachinho" que ele estava a cozinhar há meses com os seus outros amigos da Maçonaria..