28 fevereiro, 2011

Sobre a noite dos Óscares...

Esta é a prova mais risível de que o mundo da Moda está muito longe de ser uma arte ou uma ciência apenas ao alcance de alguns...
Venha quem vier, é tão só uma questão de gosto.
Ou se gosta...ou não...
 E os gostos não se discutem. Perdoam-se.

...
Este foi o vestido que a menina Pipoca elegeu como o melhor da noite nos Óscares de Hollywood.



Hahahaha....Rebolei-me no chão de tanto rir quando vi este vestido.
Manifestei de imediato a minha opinião de que ele me fazia lembrar um pastor da IURD (pastora neste caso) ou o guia espiritual de uma qualquer igreja evangélica, com aquele "Redondinho" ali no centro do peito a fazer lembrar um Sol radioso, que ilumina o caminho das almas perdidas...aleluia irmão, aleluia.
Das restantes opiniões, houve quem gostasse, claro!...houve aqueles que não sabem do que gostam e dizem "Sim, Amém, amém" a tudo o que a Pipoca gosta, mas a grande maioria vacilou entre um babete, uma farda dos centuriões romanos, um móvel com espelho, e até, pasmem-se...uma moldura de gesso na qual só faltaria colocar o respectivo retrato lá no meio.
Ai Pipoca, decidamente...agora também tu estivestes mal.
Mas deixa-lá que daqui alguns dias já ninguém se lembra disso...

27 fevereiro, 2011

Sem título...


Se para muitos a vitória do Benfica sobre o Marítimo por 2-1 foi arrancada a ferros...a mim pareceu-me mais uma vitória arrancada a mijo...hehehe
Mijo para um Marítimo afortunado que conseguiu adiantar-se no marcador quando já merecia estar a perder por 3 ou 4 bolas, e mijo para um Benfica azarado que marcou o golo da vitória no último segundo da partida quando já ninguém acreditava que tal pudesse ser possível.
Notou-se nesta partida que o Benfica parece andar muito cansado - talvez devido à grande quantidade de jogos que tem disputado nestas últimas semanas -, e a continuar deste jeito, dos 4 troféus que o treinador Jorge Jesus ambiciona ganhar este ano, arrisca-se mesmo a não levar nenhum para casa. O que seria no minímo trágico, diga-se.( E nesse caso, acho que serei forçado a alterar o título escolhido para este post, para não correr o risco de sofrer represálias Benfiquistas...hahaha).
(Piadinha...eu sei..) :)
Sejamos realistas, o treinador encarnado até pode se chamar Jesus, mas não me passa pela cabeça que este saiba fazer milagres.
Embora esta vitória sobre o Marítimo esteja quase a modos de parecer um...



24 fevereiro, 2011

É preciso muito cuidado com os Franciscos...

Ao ver este post no blog da Ni, lembrei-me de um caso ocorrido no Séc XV, que para além de insólito...acaba também por ter alguma graça...




SENTENÇA PROFERIDA EM 1487 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO·


«Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido:

– Com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos;
– De cinco irmãs teve dezoito filhas;
– De nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas;
– De sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas;
– De duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas;
– Dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas,
– Da própria mãe teve dois filhos.

Total: duzentos e setenta e cinco, sendo cento e quarenta e oito do sexo feminino e cento e vinte e sete do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e quatro mulheres».

(E agora vem a melhor parte..)

'Apesar da violenta condenação, consta-se que El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou por em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo, e guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo'.


(Autos arquivados na Torre do Tombo, Armário 5, Maço7)

Astúcias jornalísticas...

Dizem que a desgraça nunca vem só. Por vezes pode vir acompanhada, em dobro, ou até repetida, e este conceito parece aplicar-se também ao mundo jornalístico.

Quando já não há notícias MÁS que chegue neste mundo para que se possa encher todas as páginas dos jornais...duplica-se as actuais ou repete-se as existentes...
Foi o que parece ter acontecido hoje no Jornal JN.

Na sua página 21 podemos ler...
 "Operário decapitado por prensa têxtil".

E na página 25...
"Operário decapitado por prensa têxtil".

A mesma notícia, o mesmo texto, a mesma fotografia..
E dai pode ser erro meu. Pode ser que sejam dois operários distintos (que partilham o mesmo nome, sim tudo pode acontecer!...) que tiveram a má sorte de serem ambos decapitados no mesmo dia, à mesma hora e na mesma empresa, ou às tantas, trata-se apenas de um problema de gaguez jornalística...

23 fevereiro, 2011

NUtícias mirabolantes...




***


Pois não...se analisarmos os contornos deste crime com mais pormenor, fica a ideia de que ele estava mais com intenções de o cozinhar...
Minha nossa, aparece-nos cada um...

A queda dos Tiranos...

Muammar Kadafi, o chefe de Estado e líder do movimento revolucionário que a 1 de Setembro de 1969 realizou eficazmente um golpe de Estado contra o rei Ídris I (Mohammed Idris al-Senussi ), tendo deposto o monarca, e que desde essa data tem comandado os destinos da Líbia com mão de ferro, declarou ontem à sua nação que estava disposto a morrer como mártir e a massacrar, caso venha a ser necessário, todos os manifestantes responsáveis pelos distúrbios ocorridos no País nestes últimos dias.
Inteirando o seu povo de que tenciona manter o poder até as últimas consequências (última gota de sangue), este discurso ficará marcado na história como um dos mais "camuflados" exemplos do Absolutismo.
Apesar de mau, tirano, e cruel, Kadafi é tudo menos estúpido. O homem que o presidente americano Ronald Reagan (1981-89) chegou a apelidar de "Cachorro louco do Médio Oriente", e que a 21 de Dezembro de 1988 autorizou a sangue frio a derrubada dum avião Boing com 270 passageiros à bordo, sabe muito bem, após os recentes exemplos que surgiram na Tunísia e no Egipto, que a sua cabeça também ficou a prémio e que se arrisca a perder todo o seu império (apesar de negar a sua existência) nas próximas semanas caso não faça nada para inverter o rumo dos acontecimentos.
O seu discurso foi sintomático de um pessoa desesperada. De uma pessoa que está prestes a comer capim pela raiz e que quer levar o maior número possível de inimigos juntamente com ele. O discurso de uma pessoa vingativa.
Não sei se o Kadafi tenciona cumprir as suas ameaças (oxalá que não), mas se cumprir, oxalá os seus misseis tenham sido fabricados no Iraque ou no Afeganistão, e em vez de cair em cima dos manifestantes, façam algumas acrobacias/curvas sinuosas lá no céu e venham a cair em cima da cabeça dele.
Mas porquê que a mãe natureza traz estas aberrações ao mundo?

22 fevereiro, 2011

Sempre que surgem novas notícias sobre a crise no Médio-Oriente...

Ocorre-me, frequentemente, ver a minha cabeça ser invadida por pensamentos como este...




“Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus”.

(Albert Einstein)

20 fevereiro, 2011

Pensador o incorrígivel...



Passou-se há dias, e, tanto quanto me lembro, o dialogo decorreu mais ou menos assim...

Chefe - Pensador, acho que nunca irei conseguir percebê-lo. Como é que uma pessoa inteligente como você consegue dar cabo de uma boa situação aqui na empresa, podendo inclusive deitar tudo a perder?
Pensador - (Hummmm!? Elogios a esta hora?? Ou vem foda ou vem canelada...ou é o meu contrato que está a acabar daqui 10 dias e eles não tem mais ninguém senão eu para occupar o meu posto..) - - O que é que o senhor entende por boa situação, chefe?
Chefe - A empresa aprecia muito o seu trabalho. Nesse ponto não temos nada a dizer. Mas já o seu comportamento...
Pensador - Pois...por todas as empresas onde passei, não houve nenhuma que não gostasse do meu trabalho. Sinto-me muito encantado com isso, mas para mim, uma "boa situação" só tem a ver com o aspecto monetário. Acho que ninguém que ganhe o ordenado mínimo pode dizer que vive uma boa situação.
Chefe - Mas quando entrou na empresa, você já não sabia a quantas vinha?
Pensador - Sim...e nessa altura interessou-me, era escolher entre ficar ocupado com alguma coisa ou continuar desempregado, mas não quer com isso dizer que queira esta situação toda a vida...não?
Chefe - Mas sabe que "lá fora" as coisas não estão melhores do que aqui.?
Pensador - Desculpe mas essa sua chamada de atenção não constitui propriamente um elogio para a Empresa...
Chefe - Então não é? É certo que a Empresa paga pouco, mas é certinho
Pensador - Então doravante, se quiser trabalhar à feição da Empresa, só tenho que trabalhar pouco mas certinho...
Chefe - Oh Mãe de Deus. Lá está você com as suas piadinhas. Olhe, você é que sabe, é adulto o suficiente para saber o que é melhor para si. Mas sabe que à medida que os anos passam, as portas vão se fechando. A sua idade já não dá para muitas brincadeiras.
Pensador - Tendo uma família para alimentar e sei que não me posso dar a esse luxo.
Chefe - precisamente.
Pensador - Mas também não é a ganhar o ordenado mínimo que vou conseguir fazer muito pela minha família.
Chefe - ....
Pensador - ?? Não ouvi. Disse alguma coisa?
Chefe - Você devia aprender a ser mais humilde.
Pensador - Humilde?? Mas o Chefe está a brincar comigo? Por ter sido humilde estes anos todos é que estou hoje na situação que estou. Ainda não viu o "chaço" velho que tenho estacionado lá fora? Quer maior demonstração de humildade do que essa?
Você conduz um Mercedes CLS, Chefe!
Se alguém precisa de humildade nesta história, com certeza que não serei eu.

Chefe (Mete a mão na cabeça) - ....Bom...adiante...tem serviço por fazer?
Pensador - Sempre.
Chefe - Então continue.

Sabem que mais? Eu e o meu chefe podemos nos dar que nem cão e gato, mas eu sei que lá no fundo (nem que seja dum poço) ele até gosta de mim.
Caso contrário, porque pediria ele ao director da minha Empresa para renovar contrato comigo?
Sim, ouviram bem! Os gajos renovaram o meu contrato por mais  um ano. Que raio de gente mais doida!

17 fevereiro, 2011

Quando morrer*, avisem-me...



Trollitas - Pensador, já soubestes da última? Diz o Governador do banco de Portugal que, tecnicamente, o país já está novamente em recessão.
Pensador - Bom, isso é mau de facto...mas enquanto o país não decidir entrar em extinção, acho que continuamos safos...

(Ps* = Estamos a falar do País, como é óbvio...)

15 fevereiro, 2011

Só sei que muito sei

Após um longo interregno, durante o qual a Ana Garcia Martins, mais conhecida na blogoesfera como a Pipoca mais Doce, se lembrou de desperdiçar abusivamente os seus dotes, tempo e talento, a falar de sapatos, malas, vestidos, pulseirinhas, bugiganga, Benfica e outras coisas fúteis - talvez com intenção de captar mais facilmente os links direccionados pela Google -, eis que em pleno dia de S. Valentim, a rapariga volta a surpreender meio mundo com um texto lindíssimo publicado no jornal Metro à convite da escritora Margarida Rebelo Pinto.(A tal que não percebe nada sobre o amor e já por isso é forçada a convidar os outros para falar do assunto..). :)
E por ser lindíssimo, vale a pena partilhá-lo convosco...

«..Tenho 30 anos e não sei nada sobre o amor. Gostava de poder dizer “quem me dera ter 20 anos e saber o que sei hoje”, mas seria pretensão. Porque não sei nada. Durante muito tempo achei que amor era viver com o coração nas mãos, no pescoço, no estômago, pronto a explodir e a projectar-se em mil pedaços. Gostar, gostar a sério, aquele gostar de paixão, só podia ser isso. Viver em ânsia o tempo todo, correr atrás, pedir, implorar, pedir de novo, pôr-me em bicos de pés e anunciar a minha presença. Fazer uma gestão de danos a todo o momento, tentar não incomodar, não estar a mais, dar, dar, dar e receber quase nada em troca. Achar que esse pouco era mais do que suficiente, que mais vale pouco do que nada. E foi isso. Achei sempre que pouco era melhor do que nada. A triste realidade é essa. Já não me lembro de quantas vezes me senti remediada, assim-assim, vai-se andando. De quantas vezes parti a alma e de quantas a voltei a colar. De quantas vezes me apaixonei e de quantas jurei para nunca mais. Que as coisas do amor não eram para mim e mais valia estar quieta. Uma treta. Nunca conseguir estar quieta. E via os acidentes emocionais a darem-se e não podia fazer nada para os evitar. Nem sequer fechava os olhos para não ver. Meti-me em muitas relações sem cinto de segurança, e depois achava estranho fazer mais uma fractura no espírito. As cicatrizes que para aqui vão. A verdade é que sempre fui uma crente, uma utópica, uma arrebatada. Uma totó, a palavra não é outra. Se calhar ainda sou, mas de aliança no anelar esquerdo. Afinal, amor podia ser outra coisa que não uma sofreguidão desatada, uma correria sem meta à vista. Afinal, comecei a perceber, amor era 50/50. E dias mais calmos. E tardes no sofá. E filmes, e séries, e amigos à mesa. E conversas, e planos, e os nomes dos filhos que se quer ter. E uma conta corrente, este mês pago eu a empregada e tu a conta da luz. E dizer que um cão num apartamento nem pensar. E voltar atrás e dizer que sim, haja espaço e boa vontade. E pegar num mapa e ver quanto mundo nos falta ver. E decidir quem desce a pé os três andares para deixar o lixo, quem se arrasta para tratar da louça, quem encaminha a roupa para os armários, quem atira com a carne para o forno (ontem fui eu, hoje és tu). Gosto deste amor. Gosto muito deste amor que me dá beijos quando chego a casa, que não vive imerso em dúvidas existenciais e pós-modernas, que há já algum tempo que sabe o que quer. E que me quer a mim. Disse-o no altar, à frente de todos. Estava lá e ouvi. Retiro o que disse. Tenho 30 anos e sei quanto baste sobre o amor. Quem me dera ter 20 e saber o que sei hoje...»

Texto da Ana Garcia Martins publicado no jornal Metro.

14 fevereiro, 2011

NUtícias de imprensa...

Kacey Jordan, a actriz porno norte-americana que dormiu com Charlie Sheen está grávida

Porque dormir engravida, sabiam?
Pelo menos, parece funcionar assim lá por terras do Tio Sam...
Mas que aconteceu à história da Cegonha? Já não pega?
Cá para mim, isto deve ser efeito dos famosos "Sonhos húmidos", aqueles em que o parceiro sonha com "Angelinas Jolies" a correr nuas pelo areal duma qualquer praia Algarvia, as quais se lembra de perseguir, e acaba por "tomar" instintivamente, quando na realidade está a tomar a sua fogosa parceira, que está deitada na cama ao seu lado, e que por sua vez, naquela hora, também sonha - e talvez mais alegremente quiçá - que corre nua pela praia, perseguida por Brad Pitts, Tom Cruises e afins, (enquanto o outro Morão do lado continua a perseguir a Angelina, nunca soube se os dois chegam a cruzar-se na praia..), deixando-se tomar por eles após uma longa longa longa correria (nos sonhos das mulheres as correrias são sempre mais longas e vão até cansar...) quando na realidade está a ser tomada pelo parceiro do lado...etc..etc...acho que já perceberam o resto.
Estes sonhos decorrem quase sempre bem, mas podem acabar mal, como gravidezes indesejadas por exemplo, caso não estejam devidamente protegidos por um método contraceptivo.
...

E em Portugal?
Em Portugal, não existe nada de novo nesta matéria.
Como continuamos 20 anos atrasados face aos Americanos, ainda estamos naquela fase de ter que dar trollitadas para engravidar. Quando muito, uma mulher pode adormecer ao lado de um desconhecido após 2 ou 3 "Shots" de Vodka pela garganta abaixo e acordar grávida. É um risco (bastante recorrente se calhar..), mas em todo o caso, o homem teria que ficar bem desperto durante todo o processo.
Jamais poderiam dormir os dois para resultar em gravidez.

Sonhos húmidos?
Também temos, obviamente, mas com esta crise que atravessamos, o medo de trazer filhos ao mundo é tão grande, tão grande, que, mesmo que haja uma correria pela praia e o começo dum "toma" durante o sono, o mais é certo é a história acabar com uma cotovelada nas fuças, em vez dum lindo orgasmo.
Acreditem...sei do que falo... :)

Kacey Jordan mostra-nos que nem sempre as mãos servem para esconder o peito...
Ás vezes também servem para fazê-lo parecer maior do que é na realidade...

11 fevereiro, 2011

Fala quem percebe do assunto


Garry Kasparov, o homem que aos 22 anos se tornou o Campeão Mundial de Xadrez mais novo de todos os tempos e que durante os 20 anos que se seguiram foi o Campeão invicto da prova, sem nunca ter conhecido o gosto amargo da derrota, dissertou durante cerca de uma hora no Grande Auditório da Casa da Música do Porto , perante uma plateia muito entusiástica, na qual também faziam parte alguns dos empresários mais conceituados do país, e perante os quais o Garry nunca demonstrou ter dúvidas...

« O maior desafio de quem toma decisões não é ganhar, mas sim marcar a diferença »

Disse ele e muito bem...
Cá para mim o Belmiro de Azevedo deve ter ficado com as orelhas a arder..

09 fevereiro, 2011

Diz-me quanto ganhas...


E eu dir-te-ei que percepção tens do mundo...

Se para uns...

Já para outros...


Parece que a familia do Renato Seabra tinha intenção de angariar entre 100 e 150 mil euros com essa conta, e eu pergunto-me, onde é que esta gente irá desembocar esse tipo de ideias.?
Rezar missinhas é uma coisa, mas agora...dar dinheiro?
Com esta crise???

08 fevereiro, 2011

Bélgica choca o mundo!!!!


«Mulheres de políticos fazem «greve de sexo»


 
 
Estou sem palavras.
Mas essa gente também faz sexo com mulheres??
Juro-vos que até hoje sempre julguei que a famosa "orientação politica" dos nossos governantes (dos Belgas neste caso) só estava relacionada com o uso preferencial que eles davam ao corpo em geral e as mãos em particular.
Quem fosse de Direita, trabalhava a mão direita...
E quem fosse de Esquerda, trabalhava a mão esquerda...
 
Mas não, parece que afinal eles também sabem molhar o bico sem ser esfregar o galho com as mãos.
Chiça..que a gente fica a saber cada coisa...
 
Mas daí, pode até ser que a minha teoria esteja certa e que em matéria de sexo a classe politíca Belga seja apenas uma excepção.

07 fevereiro, 2011

Não sejas tão radical!!

Diálogo inspirado num post da Ni, mas apenas imaginário, infelizmente. Porque merecido seria, certamente.

- Traíste a tua mulher?
- Eh pá, não sejas tão radical. Foram só uns beijos e uns apalpanços. Não fui com a gaja para a cama. Mais a mais, homem que é homem não consegue fugir a uma provocação.
- Nisso tenho que concordar contigo inteiramente, outro dia aconteceu-me algo igual.
- A sério?
- Sim, fui ao Shopping do Brasilia para comprar umas sapatilhas e na loja da Nike conheci lá uma boazona que se atirou a mim e a coisa rolou bem...
- Ah campeão! É assim mesmo! Nada de perdoanços. Mas tem graça que tenho a minha mulher que trabalha como vendedora na loja Nike do Brasilia, pode até ser que a conheça. Que aspecto tinha mesmo essa dita boazona?
- Pá, a miúda era linda, loira, olhos azuis, prá ai uns 25 anos no máximo. Acho que o nome dela era Natalie.
- NATALIE?? Pá! Porra! Tu fostes traír-me com a minha mulher?
- Eh pá, também não sejas tão radical. Foram só uns beijos e uns apalpanços. Não fui com a ela para a cama. Mais a mais, homem que é homem não consegue fugir a uma provocação.



Uma traição nem sempre é encarada como algo ruim...

E se em vez duma corridinha....


Fossemos antes dar uma rapidinha junto ao rio?
Também estava um belo dia para isso, não?
 Será que essa gente fica com a cabeça tão perdida, perdão, preenchida com bugiganga, malas, sapatos, vestidos, vernizes, batons, pulseirinhas e outras futilidades do género, que deixam de ter tempo (ou vontade) para pensar em sexo?

:))))

05 fevereiro, 2011

Até tu Margarida?


"Caímos na asneira de o amarmos sem exigir nada em troca."
(Margarida Rebelo Pinto)

...

Não é asneira nenhuma, o amor é assim mesmo Margarida!
É gostar-se de alguém incondicionalmente, sem esperar contrapartidas e sem nunca se exigir dele nada em troca!
Para escritora podes vender muitos livros, e até reconheço-te algum jeito para fazer frases bonitas, mas em questões de amor, desculpa-me que te diga, mas...
 percebes muito pouco.


03 fevereiro, 2011

Matemáticas do futebol...


Dizem os jornais desportivos que ao vencer por 2-0 no estádio do Dragão, o Benfica acabou por conseguir desforrar-se da humilhante derrota por 5-0 sofrida à 10ª jornada da Liga de Futebol.
Bem, eu não conheço a opinião dos caros amigos leitores deste blog, mas, no meu tempo de estudante, para uma "Desforra" ser considerada válida tínhamos que retribuir em nûmero maior do que aquele que fomos contemplados. Ora, se o Porto deu 5, o Benfica tinha que dar 6 para que o termo "desforra" pudesse ser mencionado e o resto é conversa.
Além de que os 5 golos do Porto ao Benfica foram puras obras de arte, enquanto que os 2 golos do Benfica ao Porto...foram 2 chouriços. Um do Maicon e outro do Helton.
(Sem querer falar do Penalti que foi perdoado ao Benfica...)

Mas agora...
Que me digam que se torna mais enfadonho para o ego portista levar 2 batatas do Benfica do que para os benfiquistas levarem 5 do Porto, aí sim...já concordo em absoluto.