28 dezembro, 2008

Caso Esmeralda - A hora do tudo ou nada!


Como é do conhecimento da maioria, a pequena Esmeralda encontra-se neste momento a passar as suas férias de Natal (E Ano novo!) na companhia do seu progenitor biológico, vulgo Baltazar Nunes, por na passada 6ª feira, quando seria suposto a miúda recolher ao seu leito materno na intenção de passar o ano novo juntamente com os seus pais, ter-se visto obrigada pelo Tribunal de Torres Novas a permanecer naquela casa até 05 de Janeiro.
A intenção do Tribunal é tudo menos inocente, e se calhar, justificável neste caso, face ás pressões internas e aos sucessivos epítetos desagradáveis que logrou ganhar, por vias da inoperância que a justiça demonstrou ter, neste e noutros processos polémicos, no sentido de fazer cumprir a lei perante os seus cidadãos.
A hora era do tudo ou nada, e assim sendo, aproveitaram estas nini-férias escolares e o falso pretexto do Natal, para afastar a miúda durante uns dias da influência do casal Gomes, e colocar em prática um plano - muito arriscado - do tipo "Ou racha ou mata".
Por muito boas que sejam as intenções (Seria melhor dizer aflições...) dos magistrados, quando a teoria mostra ser ineficaz perante a honestidade emocional de uma criança, por vezes é preciso recorrer a meios menos ortodoxos e a finalidade justifica claramente as lágrimas derramadas pelo caminho.
No fim de contas, é a competência da Justiça e dos seus Magistrados que está em jogo, certo?
Ao principio vai chorar muito, percebem? Mas com alguns iogurtes, ovos Kinder e algumas palmadinhas no rabo, ela irá acabar por esquecer tudo...e o mundo de imagens da Justiça Portuguesa continuará a sair incólume desta história.

Não sei o que pensar nesta hora. Sinto, por uma via, alguma satisfação adjacente à vontade de ver essa criança ser entregue ao pai biológico, para que se lhe acabe de vez essa aura de "chulice" que o tem caracterizado e o tipo se veja obrigado a custear a alimentação/educação da miúda, em vez de alimentar a possibilidade de viver à custa dela.
Nessa altura, face à aquilo que irá - de certo - se verificar, muitos terão a oportunidade única de derramar algumas lágrimas de crocodilo...e, aos 18 anos, sequer ao menos, essa criança ganhará o direito de ter vontade própria e poderá também decidir o seu futuro, sem ver a sua vida condicionada pela aselhice de terceiros.(Isto claro, se ela não fugir de casa antes disso..)
Mas por outra via, sinto uma grande tristeza pelo casal Gomes.
No fim de contas, as suas intenções foram nobres desde o inicio. Suportaram muito e sofreram outro tanto, quando apenas quiseram acolher esta criança e amá-la como se deve amar uma filha.
Como se sentirá um pai ou uma mãe numa hora destas? Espero nunca vir a saber.
Mas também não me é difícil saber que, caso a miúda venha a ser entregue ao pai biológico desta forma tão desonesta, irá florescer no coração do casal Gomes, um grande sentimento de impunidade, de injustiça, e só espero, que quando tudo estiver realmente perdido, o Baltazar Nunes não venha a pagar a "fava rica" desse sentimento.
Para alguns, o orgulho não tem preço, e para o Sargento...muito menos.
Mais uma vez, o amor pela Esmeralda será determinante para que esta novela não venha a acabar em drama.

Agora, restam apenas muitas dúvidas que só o futuro poderá dissipar.
Certezas? Apenas uma. Este caso ficará para sempre guardado na memória dos Portugueses como a maior "Nódoa negra" à manchar a trémula credibilidade da Justiça Portuguesa.

9 comentários:

  1. Olá Pensador!
    Acabo de descobrir o teu blog através de um comentário teu que li noutro blog.
    Fiquei curiosa porque vi que tinhamos "nomes" quase iguais ...
    Eu acabo de me instalar na blogoesfera, sou uma das tuas novas vizinhas.
    O meu blog ainda está a dar os primeiros passos, mas se quiseres visitar és sempre bem-vindo.
    Bom ano!

    ResponderEliminar
  2. Pensadora, Sê bem vinda.
    Bem....não vais acreditar, mas, pelos vistos, enquanto estavas a comentar no meu estaminé, estava eu a comentar no teu.
    E sim, também foi a semelhança dos nossos "Nicks" que me chamou a atenção...hehehe
    Gosto em conhecer-te e volta sempre que queiras. Também assim farei.
    :-) Bjs

    ResponderEliminar
  3. Também não sei muito bem o que opinar àcerca deste assunto ambíguo, mas sei que quem anda a sofrer mais no meio disto tudo é, sem dúvida, a pobre menina. Seja quem for o culpado, pais , pai Baltazar ou tribunais e magistradois, já lhe roubaram muito da sua infância e isso não se faz!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Prometi que não voltaria a falar deste caso, e não vou fazê-lo :)

    Passei para te deixar um beijãoooooo do tamanho do mundo de desejar-te toda a felicidade do mundo para 2009, 2010, 2011 e por aí fora :)

    ResponderEliminar
  5. Esquecem-se do fundamental: o interesse e estabilidade da criança.
    Bom ano 2009! Bjs

    ResponderEliminar
  6. Entra bem em 2009!!!! Diverte-te muito!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Acompanho o riso da Ni, porque, como sabes, já dei a minha opinião sobre o assunto.
    No entanto, devo acrescentar que concordo com o último parágrafo. Sim, a justiça fica muito mal neste processo, se tivesse actuado como devia, a pequena Esmeralda, desde os dois anos que estaria com o pai e não com os “raptores” (comas hesitantes).

    Desejo-te a Ti e à Ni, um excelente 2009. Que os vossos desejos se concretizem e, principalmente, sejam felizes.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  8. Pires F, um grande abraço e tudo de bom para si e, só para que conste, o meu comentário tinha outro alvo já que quanto ao tema do post sei que estamos de acordo e eu prometi que não comentava mais este assunto :-)

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."