29/12/2018

A outra face do Benfica

Soube ontem que o S.L.Benfica (SLB) lançou um novo apelo na "News Benfica" com a intenção de sensibilizar todos os sócios e simpatizantes encarnados para a necessidade de "atuar de forma rápida e implacável com todas as correntes de violência que semeiam o pânico no desporto". Este apelo surgiu em resposta aos incidentes verificados na autoestrada A1, no passado Domingo dia 23/12, que, se bem se recordam, envolveram um autocarro que seguia para Barcelos carregado de adeptos/simpatizantes benfiquistas que regressavam à casa após terem visto o seu clube infligir uma goleada humilhante por 6-2 ao Braga, tendo o mesmo sido apedrejado na zona de Grijó por alguns jagunços desconhecidos - talvez descontentes com o resultado do jogo ou com a carga policial que alguns adeptos bracarenses foram alvos no estádio da Luz - acabando por resultar dois feridos, um dos quais ficou em estado muito grave e teve que ser levado para o Hospital de Gaia. Apesar de nutrir simpatia pelo FC Porto, como bem sabem, confesso que também fiquei sensibilizado com este apelo e seria perfeitamente capaz de louvar a nobreza desta atitude se ela não estivesse, mais uma vez, carregada de hipocrisia. Francamente, minha gente, será que esta palhaçada nunca mais irá acabar? É verdade que o povo possui uma grave tendência para esquecer tudo e mais alguma coisa, mas já não esquece tão facilmente quando se vê ofendido. Infelizmente, o Benfica possui esse irritante e inegável defeito: enquanto for ele a ganhar, parece um pavão a passear as suas penas, a vida está "nice", o país está bem e o futebol não precisa de nada, mas basta perder uma única vez que seja e é vê-lo armar-se em vitima, em baluarte da verdade, da honestidade, apenas com o propósito de arranjar um pretexto para poder ofender todo o mundo à sua volta. E para piorar o cenário, não só tem o vicio de disparar a torto e a direito, sem qualquer critério nem fundamento, como ainda por cima ficam sempre ofendidos se os visados das criticas...não concordarem imediatamente com eles. Ou por outras palavras, não só ofende as pessoas como ainda por cima exige que lhe seja dada a razão e que que sejam elas a pedir-lhe desculpa. É sabido, e toda gente pode comprovar tudo isso, que, em todas as jornadas de futebol, mal terminam os jogos do FC Porto, e em caso de vitória deste último, poucos minutos após o fim de cada partida o Twitter do Benfica começa logo a debitar todo o género de impropérios, acusações e criticas ao trabalho dos árbitros, Video-árbitro (VAR), assistentes e delegados de jogo, acusando-os da forma mais esquizofrénica que se conhece, de serem incompetentes, de favorecerem o clube azul e branco, de fazerem vista grossa a faltas evidentes que não tem evidência nenhuma, de perdoarem expulsões ou lances para penaltis que só eles conseguem ver através de imagens adulteradas transmitidas pela Benfica Tv, de cimentarem a Liga "Blue Velvet", de promoverem o regresso do Polvo Azul e do Apito Dourado, rebeubeu pardais ao ninho, enfim, um comportamento claramente irresponsável que representa tudo aquilo que, aparentemente, é susceptível de promover correntes de violência que semeiam o pânico no desporto. Querem mais provas daquilo que acabo de afirmar? Com muito gosto. Ainda ninguém sabe (está em fase de investigação) quem perpetrou este ataque cobarde contra o citado autocarro e o clube da Luz já designou um culpado. Usando as redes sociais e os meios de comunicação social ao seu dispor, tem estado a insinuar incansavelmente e com aquela certeza benfiquista que todo o mundo (re)conhece - aquela que quem fala muito mas pouco acerta -, que foram pessoas ligadas à claque dos "Superdragões" que, ainda que não haja nenhuma prova disso, têm estado a promover um clima de medo e intimidação com a chancela do FC Porto. Enfim, ainda não há culpados, nem sequer suspeitos, mas para o Benfica esta questão já foi resolvida, julgada e sentenciada. Há que criar um lobo para que os cães possam ser açulados. Pergunto; Onde estava o sentido de integridade do SLB quando em 1996 viu um adepto benfiquista pertencente à claque do "No Name Boy" lançar um "Very-light" que acabou por matar um adepto sportinguista durante a final da Taça de Portugal no estádio do Jamor? Na altura dos factos alguém viu o clube condenar este desgraçado incidente? Sim, condenou, mas infelizmente foram muitos e demasiados anos depois. Dez, se não me engano. Alguém viu o SLB condenar a morte do adepto sportinguista perto do estádio do Luz quando foi brutalmente atropelado por um carro conduzido por membros de uma claque benfiquista? Claro que não, seria um sacrilégio se o fizesse, e o Luís Filipe Vieira ainda teve o desplante de gozar com a família enlutada dizendo que os adeptos do Sporting não tinham nada que estar ao pé da Luz às três da manhã. E neste último jogo contra o Braga, alguém viu o SLB condenar a carga policial da PSP sobre os adeptos do Braga, tratando à bastonada todos aqueles que estavam ali presentes, incluindo crianças, mulheres e pessoas idosas? Mas é claro que não ouviram, e sabem porquê? Porque entre as vitimas não houve nenhuma que fosse benfiquista - era tudo bandidagem -, e, tal como diz a expressão popular, pimenta no cu dos outros para o Benfica é refresco. É por isso que não acredito em nenhuma palavra dita por aquele clube, pelo menos enquanto o "orelhudo" estiver a comandar os seus destinos, porque é composto por gente hipócrita que só se lembra de apelar à verdade, à honestidade, à calma e à pacificação do futebol quando o mal decide atacar a sua casa, ainda que esse mal seja consequência do mal que fizeram à casa dos outros. Porque, presentemente, é só isso que sabem fazer; Arranjar guerras, ganhar "Ligas" à custa de padres e toupeiras...e fazerem-se de vitimas quando vêem que já não podem ganhar nada. E mais não quero dizer.

26/12/2018

Chouriço ou não, eis a questão.

"Meia bola e força", ou "pontapé para a frente e fé em Deus". Se consultarmos o dicionário das "frases feitas", estas duas expressões significam ambas fazer algo desajeitadamente ou de qualquer maneira, confiando o seu sucesso apenas na sorte ou na providência divina, e, quando são aplicadas ao mundo do futebol, traduzem aqueles lances que tanto podem resultar numa bola lançada às nuvens, num falhanço de todo o tamanho, como também pode, em dias de extraordinária sorte, resultar num grande golo. Se resultar num falhanço, isto é, numa daquelas bolas que passam à 30 metros da baliza e vão parar ao 3º anel do estádio da Luz (como acontece na grande maioria das vezes), o jogador que rematou irá parecer um perfeito idiota aos olhos dos expectadores, sejam eles adeptos apoiantes da sua equipa ou seguidores da equipa adversária, mas tudo não passa disso, de um momento infeliz que as pessoas tratarão logo de esquecer poucos minutos depois. Mas quando resulta em golos, normalmente eles costumam ser sempre de belo efeito e tornam-se mais difíceis de esquecer, porque tudo o que parecer impossível de concretizar produz um certo efeito mágico nas pessoas, e é sabido que todas elas adoram acreditar em magia. E a prova disso é a quantidade de religiões que existe no mundo. Obviamente que para os jogadores e adeptos adversários, esses golos "de belo efeito" serão sempre vistos como se de um "chouriço", um piço, um frango ou um peru do guarda-redes se tratasse, mas para os adeptos da "casa" eles serão sempre considerados golos de antologia. Obras de arte ou obras primas, tanto faz. Ora, e foi precisamente isso que aconteceu com o jogador benfiquista André Almeida, no último tento que marcou para selar a vergonhosa goleada (6-2) que o Benfica infligiu ao Braga. No video que publiquei em baixo, que mostra a jogada do golo em causa, torna-se perfeitamente possível perceber que o jogador rematou por instinto, numa situação de total desequilíbrio, sem qualquer tipo de preparação nem objectividade, como se estivesse a puxar a alavanca duma "Slot Machine" num Casino e ficasse à espera que lhe saísse o Jackpot, e a prova disso é que mal desferiu o remate caiu logo para o chão tal era a sua posição de desequilíbrio, mas o que interessa é que a bola fez um arco esquisito e acabou por entrar na baliza, resultando assim num grande golo. Já não é a primeira vez que algo assim acontece com aquele jogador. No ano passado, quando jogou contra o Portimonense, lembro-me de vê-lo fazer um cruzamento sem nexo para a grande área com a intenção de servir um colega de equipa que estivesse bem posicionado para fazer golo, mas o cruzamento foi de tal ordem disparatado que fez a bola ganhar um efeito esquisito, traiu o guarda-redes e acabou por entrar na baliza. Ora, é evidente que tanto nesse jogo como no jogo contra o Braga, o André Almeida poderia voltar a ensaiar aqueles dois remates vezes sem conta, 100 ou 500 vezes por dia durante os próximos 30 anos, que nunca mais voltaria a marcar um golo assim. Ambos os golos resultaram unicamente da sorte e a sorte não se treina nem se pode contar com ela. Aparece - se quiser - e pronto. Alguns poderão dizer que a sorte também se procura, que ela protege os audazes e essa treta toda, mas nós por norma só dizemos essas coisas para incentivar as pessoas a serem mais pro-activas, a trabalhar para alcançar à "sua sorte", que é como quem diz, a procurar o seu lugar ao sol, porque é sabido que todo aquele que ficar parado, não quiser lutar por nada ou ficar à espera que a sorte lhe venha bater à porta, normalmente acaba por viver uma vida inteira sem nunca ter conquistado nada, e, muitas vezes, sem sequer ter vivido a porcaria de vida nenhuma. Mas sabem que mais? Nada do que a gente diz importa realmente. Para o André Almeida, a única coisa que realmente importou foi saber que a bola entrou na baliza contra o Portimonense e contra Braga, que foram produzidos grandes golos e que houve 6 milhões de benfiquistas que puderam testemunhar tudo isso. E será essa a imagem que ficará guardada para toda a eternidade. A ideia de que ele é capaz de marcar golos fantásticos quando se sente inspirado. Por isso, mais importante do que ser um bom jogador, do que ser dotado, do que fazer muitas fintas ou ter um bom pé para o remate, do quão bom se pode ser ou da capacidade de trabalho que se pode ter, é procurar estar sempre no sitio certo na hora certa...e rezar para que a sorte esteja sempre do nosso lado.


25/12/2018

Um bom Natal a todos!

Neste dia, podia falar-vos de amor. Podia falar-vos sobre paz, alegria, família, e união entre todos...e todas as outras coisas boas que costumam acompanhar o significado do Natal. Mas depois lembrei-me que há muito tempo para isso. Sejamos realistas, não existe apenas um Natal. Já houve muitos no passado, presentemente estamos a viver mais um e, depois deste, acredito que vão haver muitos mais. Por isso, este ano, decidi celebrar esta quadra natalícia de uma forma diferente. Já que o Natal quer dizer "nascimento"...nada melhor do que honrar este dia com a consciência de que, muitas vezes, ele pode trazer boas razões para que o ser humano ganhe inesperadamente a vontade de fazer filhos... 

Fora isso, desejo-vos um bom Natal a todos, divirtam-se e...sejam felizes. :)

Imagem relacionada
Imagem da Net

24/12/2018

A magia do Natal...

Resultado de imagem para magia de natal
Imagem da Net

Chamava-se Maria, ou Rita, ou Engrácia, ou Ripipi, mas decidi baptizá-la de Natália por ser a protagonista da primeiríssima e talvez única história de Natal que senti o chamamento de escrever até hoje. Enquanto esperava pela minha querida mulher, dentro do meu carro estacionado junto à porta principal do LIDL, deu-me para observar essa jovem miúda, bonita, de vestimenta e modos desajeitados que revelavam a sua natureza cigana, ou moldava, ou romena, ou sei-lá bem, e uma expressão profundamente triste que ofuscava o brilho dos seus lindos olhos azuis. De mão estendida e uma voz doce encantadora, por cada boa "alminha" que passava junto dela, via-a atirar incessantemente, com muito ar de desespero, sempre o mesmo apelo de misericórdia, ajuda e compaixão. E o desespero de quem passa fome mexe sempre com o meu âmago, cria um reboliço nas minhas entranhas, irrita-me, revolta-me, e faz sobressair as poucas partes boas que ainda vivem em mim. No meu intimo, sentia a pressão exercida sobre o meu ego inquieto; que espécie de ser humano seria eu para assistir tão impávido à miséria que parecia consumir sem misericórdia a vida daquela pobre criatura, sem sentir o anseio de agir ou mudar alguma coisa pequena que fosse? E se fosses tu, relembrava eu, terno e docemente, como aquela mensagem fatídica que tantas vezes vi passar na televisão. E se fosses tu, gostarias que alguém te tivesse dado a mão? Sim, é claro que gostaria, pensei eu, assolado pelo pressentimento convicto e decidido de que estaria preste a conquistar as boas graças do karma, ao contribuir de forma totalmente altruísta para a felicidade de outra pessoa que não fosse eu. Saí do carro e, enquanto caminhava na sua direcção, continuava a ouvir os apelos que, insistentemente, lançava contra o vento e voltavam para ela mais cheios de nada ou carregados de coisa nenhuma."Ayuuda pai", "Ayuuuda, mãe", "Ayuuda, abó". "Dá-me um pão", "dá-me um queijo", "dá-me um frango"...enfim, dá-me qualquer merda, a menos que ela seja literalmente. E a cada passo que dava, mais o meu coração batia, forte, e mais sentia o meu batimento cardíaco acelerar, e por cada novo apelo que ouvia mais enternecido me sentia, e desejoso de "salvar" aquela criança. Dentro de mim, já conseguia imaginar o seu sorriso de contentamento, o seu ar de espanto, de felicidade e agradecimento por saber que o mundo não era só feito de pessoas más, frias e egoístas. Imaginei as suas lágrimas de alegria, e até um abraço sentido, apertado, daqueles que surgem sempre de improviso e só pretendem encher de amor o coração de alguém. E foi naquele pequeno, sentido e silencioso momento, naquele fragmentado segundo que antecede sempre cada milagre, quando já estava preste a surgir diante dela, triunfante, com a minha mão carregada de afecto e generosidade...que vi um senhor de certa idade passar bruscamente à minha frente, talvez devido à pressa de parecer mal educado, e ser agraciado também ele com as atenções daquela criatura encantadora. Foi naquele inolvidável momento que voltei a ouvir a sua voz angélica: "Ayuuda, pai!", "Pai", "Ayuuda". E foi também naquele inolvidável e tenebroso momento, depois de ter visto o senhor de certa idade seguir já bem longe de mim - poucos segundos após ter ficado indiferente aos apelos da menina -, que pude ouvi-la murmurar baixinho contra o esmalte dos seus dentes...« seu grande filho da puta»...

Oh Natália...fodeste tudo...

(E o pior é que nem sequer é uma história. Foi tudo verdade...)

23/12/2018

E assim vai...o nosso pequenino Portugal...

Imagem relacionada
Imagem da Net

Quem, como eu, abriu o Jornal de Noticias (JN) na manhã de ontem e ficou a saber que Benfica foi ilibado pelo Tribunal Central de Instrução Criminal de todas as acusações que pendiam sobre si referentes ao processo E-Toupeira, ficaria naturalmente perplexo com este inesperado desfecho dada a gravidade e cristalinidade das acusações, mas, se, também como eu, for um expectador atento e conhecer algumas partes mais desastrosas do historial da nossa justiça, tudo passa a ganhar um maior sentido quando mais à frente fica-se a saber a identidade da magistrada responsável por julgar este processo e a razão que levou o dito a ser-lhe entregue depois de, inicialmente, ter sido confiado ao juiz Ivo Rosa. Senão vejamos. Ana Peres, a mesma juíza que, num passado não muito distante, e segundo aquilo que se consta por ai, conseguiu condenar sem provas o "senhor televisão" Carlos Cruz e não teve qualquer pejo em meter aquele homem na cadeia por alguns anos - cuja sentença foi demasiado tarde considerada ilegal pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem - alegando uma "Ressonância da verdade" incompreensivelmente sustentada pelo testemunho de dois delinquentes que ganhavam a vida a dar o rabo no parque Eduardo VII e que mais tarde acabaram por confessar ter recebido 50.000€ cada um para prestar falsos testemunhos contra o apresentador....parece ter aprendido "demasiado bem" a lição e, agora, mesmo que a verdade seja cristalina e nitidamente ressonante, já não arrisca nada e prefere ficar enfiada na carapaça da tartaruga. Poderá ser uma boa pessoa, e tão honesta como qualquer um de nós, mas dado o "peso social" de alguns arguidos envolvidos exigia-se que este processo fosse conduzido por alguém destemido que tivesse os "tintins" bem no sitio, e, como juíza, aquela mulher está claramente manietada. Compreendo que o processo "Casa Pia" lhe tenha sujado a ficha e isso possa afectar as suas decisões futuras, permitindo, talvez, que haja quem se sirva dela para ultrajar a justiça, mas não deixa de ser triste verificar que, mais uma vez, nada funciona e tudo pode ser corrompido neste país. Tal como acontece em processos similares a este, o Benfica irá sair impune, mas dada a gravidade dos crimes praticados, também era previsível que fossem nomeados alguns mexilhões (Paulo Gonçalves e José Silva) para pagar as vacas ao dono e calar a ira do povo. É que, mesmo que a justiça possa ser facilmente corrompida, e a existência de "toupeiras" comprova bem esse facto, ainda assim, é importante fazer-se passar a imagem de que ela consegue funcionar de alguma maneira, caso contrário, seria o descalabro total que poderia conduzir ao surgimento da justiça popular. O Sporting Clube de Portugal já manifestou a sua intenção de contestar esta decisão, e acho que o Ministério Público também tenciona fazer o mesmo, mas acho que tudo isso não passa de uma pura perda de tempo. Por alguma boa razão a tomada desta decisão já foi adiada por 2 vezes e arrastada até hoje. Era preciso fazer um compasso de espera para organizar os peões no tabuleiro de xadrez e deixar o "Rei" bem posicionado, para ficar com as costas bem protegidas e não ser apanhado em xeque-mate. Por isso, tudo aquilo que acontecer daqui para a frente é apenas conversa para burro dormir. Se o Sporting contestar, e tem agora 30 dias para fazê-lo, irá seguir-se outro período de reflexão para apreciar os fundamentos da queixa e a decisão nunca sairá da gaveta antes de meados do próximo ano. Se ela for favorável ao Sporting, o Benfica ganhará também o direito de contestar, ao que se seguirá outro período de reflexão, e se ela for outra vez favorável ao Benfica, uma teimosia latente levará o clube dos Leões a fazer uma nova contestação noutra instância judicial para tentar rebater a decisão da primeira. E de adiamentos em adiamentos, e de contestações em contestações, passam os dias e passam os anos, a memória e a paciência do povo, mas sobretudo os prazos, até atingir por fim a prescrição derradeira. E assim vai, mais uma vez, o nosso pequenino Portugal...

17/12/2018

Constatações inquietantes...

Lembram-se daquele tempo em que escrevia um post quase todos os dias aqui no blog e muitos deles do tamanho de uma ou várias páginas?

Bem...pois...

15/12/2018

Pensamento para o fim de semana...

Imagem relacionada

Não existe pessoas com tendência para engordar. Existe sim...é pessoas com tendência para comer muito e fazer pouco exercício...

09/12/2018

Medo, muito medo...


Em toda a minha vida nunca soube realmente o que é passar por verdadeiros momentos de terror até o dia em que vi-me forçado a ter que recorrer a uma casa de banho pública e consegui ouvir tudo aquilo que estava a passar-se na sanita do WC ao lado...

Credo, Virgem Maria ó mãe de Jasuus! Nesse dia estava todo apertadinho e sentia uma aflição dum caneco, mas naquele momento perdi toda a vontade de "evacuar" o que tinha lá dentro. E ao sair dali, nem sequer senti curiosidade em ver o aspecto do individuo porque tive medo que me aparecesse o Shrek.

08/12/2018

Por mais que o Natal seja mágico...

...Nunca chegará a milagreiro...

Imagem relacionada
Imagem daqui

Tenta perceber as razões...(ainda que não sinta interesse em conhecer a vida de ninguém?)
Tenta evitar o preconceito...(ainda que ele sinta interesse em fazer sexo comigo?)
Tenta olhar sem julgar...(ainda que queira julgar algo bonito?)
Tenta abraçar a diferença...(na boa, logo que a "diferença" não seja o teu nome artístico...) 
Tenta, já que estamos no Natal...(ainda que por vezes pareça Carnaval...)

E agora, já que estamos na senda dos "Tentas", tenta também ler tudo isto sem soltar uma gargalhada que seja...ou então tenta ler a revista Cristina sem chorar no final o dinheiro que pagaste por ela. 
Eu já tentei, mas confesso que não consegui...
Por isso, talvez volte a tentar no próximo Natal...

A sério? Querem combater o preconceito e fazem capa do tipo mais preconceituoso que conheço?
Aquele que, por exemplo, quando participou no programa "Perdidos na Tribo" da TVI (2011) fartou-se de gozar com as mulheres da tribo Himba (Namíbia) porque tinham mamas grandes e descaídas?
Nunca dei valor a gente hipócrita, falsa e mentirosa, e garanto-vos que não é agora que vou começar!

04/12/2018

Parece parvo, não parece? Pois parece...

E aquele momento em que já estamos há mais de meia hora à procura do raio dos óculos e só conseguimos encontrá-los quando desistimos de os procurar e olhamos para o espelho para pentear o cabelo antes de sair de casa...?

Raios parta a maldita PDI...


Resultado de imagem para maldita pdi
Imagem da Net

01/12/2018

Diz que...foi uma luz que lhe deu...

Resultado de imagem para luis filipe vieira
Imagem da Net

Uma luz que, tratando-se de Rui Vitória (RV), poderia ter custado ao Luís Filipe Vieira (LFV) e aos cofres do clube encarnado entre 2,2 e 3 milhões de Euros que seriam pagos ao actual treinador do Benfica como forma de indemnização caso o seu despedimento tivesse sido oficializado conforme já estava a ser anunciado por todos os meios de comunicação do país, mas, lá está, isso também faz parte daquele tipo de coisas que nunca devem ser contadas à boca cheia para não ferir susceptibilidades nem correr o risco de fazer papel de idiota, ainda que..."alguém" acabe por fazê-lo de qualquer maneira, seja de uma forma ou de outra. Depois desta inédita e totalmente inesperada "inversão de marcha", que deixou este assunto arrumado na gaveta das "chicotadas por fazer" pelo menos por mais algum tempo, RV, o mesmo homem que ainda há dias fez saber ao Benfica que não iria abdicar de nenhum cêntimo e que pretendia exigir receber a totalidade dos salários previstos até 2020 caso o seu despedimento que já era quase uma certeza absoluta para todos viesse mesmo a avançar, declarou agora ao universo benfiquista - o único que ainda se dispõe a acreditar nas tretas dele - que não foi por qualquer dinheiro que ele saiu ou ficou no Benfica porque, pasmem-se, essa nunca foi a sua forma de estar na vida. Muitos, em tons de gracejo, dirão que só fala assim quem não é gago ou pensa ser mestre de si mesmo, mas eu acho sobretudo que só fala assim quem não é pobre, porque todo aquele que é rico diz sempre que nunca liga nada ao dinheiro. Mas é claro que não liga nenhum, já que é aquilo que menos lhe falta em casa e custa a ganhar.

Para muita gente, ser despedido é quase um drama, uma aflição, e o pior que pode acontecer à vida de qualquer pessoa no mundo do trabalho. E para a maioria das pessoas isso até acaba por ser verdade, sobretudo se forem daquele tipo que se sujeita a trabalhar de forma precária em troca do ordenado mínimo, também conhecido por salário de merda (merda, tinha prometido que não ia dizer merda hoje), mas está muito longe de o ser para os treinadores de futebol. Hoje em dia ser-se treinador de futebol é 1000 vezes melhor do que ser Presidente da República. Perguntem ao Julen Lopetegui se ficou chateado por ter sido despedido pelo FC Porto em 2016 ao fim de um ano de contrato e receber cerca de 3 milhões de Euros, ou se ficou mais chateado ainda quando recebeu mais 3 milhões de euros por ter sido despedido ao fim de 3 meses pelo Real Madrid. Sim, sim, perguntem a esse tipo que toda a gente gozou quando foi despedido pelo Florentino Perez se ele ficou mesmo chateado por ficar milionário de um dia para o outro. Porque mesmo que seja o maior tosco do planeta, o que importa é que ele passe por ser o melhor treinador de todos, para que possa assinar um contrato milionário, ser despedido ao fim de alguns meses e receber um lindos milhões de euros na sua conta. Por isso, a famosa "Luz" que deu ao LFV não foi nada senão a azia que deu ao Pinto da Costa quando em 2016 teve que pagar as vacas ao dono após meter o treinador basco no olho da rua.

Ainda assim, confesso que adoro o mundo do futebol, pois só nesse mundo consigo divertir-me a ver situações cómicas deste género, mas sabem aquilo que me irrita de verdade? É quando fico a perceber que Portugal, apesar de ter havido uma certa evolução de mentalidades, de ter os "horizontes" mais abertos, de usufruir de maior e melhor educação para todos, ainda que ela seja apenas "tendencialmente gratuita", de ter acesso a uma informação globalizada e quasi-instantânea, e de ser um consumidor voraz da Internet, da Amália, do Eusébio, do Mourinho e do Cristiano Ronaldo, sim, apesar de tudo isso...ele continua a não ser ninguém no mundo. Continua um zé-ninguém. É como é que eu consigo perceber tudo isso? Muito simples, percebo tudo isso quando vem ao meu conhecimento, com a chancela da Football Leaks, que os tubarões europeus andam a reunir-se em segredo para tentar organizar uma "Superliga Europeia" composta pelos 11 maiores clubes da Europa mais outros cinco "convidados" e ficar a saber que não existe qualquer lugar para as equipas portuguesas. Andam eles aqui todos à batatada, aos insultos, a lançar pedras, à bastonada, a mandar bocas e provocações diariamente, a acusarem-se mutuamente de bandidagem e corrupção, com claques a invadirem academias, matar adeptos nas rotundas ou com very-lights e a rachar cabeças, e tudo isso para quê? Para mostrar que não passamos de um povo selvagem? De cães que não conhecem o dono? É muito triste saber que há clubes como o Atlético de Madrid, o Olympique de Marselha, o Inter de Milão e o Borussia de Dortmund que figuram na lista dos convidados para a criação dessa dita Superliga e que entre nós, existe, por exemplo, um clube português que se auto-afirma o maior de Portugal, que conta supostamente com 6 milhões de adeptos em território nacional e 70 milhões por todo o mundo, com um projecto de crescimento não sei de quê não sei que mais e segue um caminho de "inovação tecnológica e científica", bla bla blá, bla bla blá, de reforço das suas infraestruturas de apoio à “fábrica de talentos” e de consolidação financeira, que os coloca muitos anos à frente da concorrência nacional, rebebeu, pardais ao ninho...mas que aos olhos da Europa continua a não valer merda nenhuma (merda, disse merda outra vez!). E não posso mesmo nada condená-los por isso. Quem olhar para o campeonato português e ver aqueles estádios vazios, carregados de moscas, com meia dúzia de gatos pingados que só pagaram bilhete para poder chamar nomes ao árbitro e tratá-los de filhos daquela mãe que vocês sabem, e alguns grupos de "sócios organizados" que só vão ver o futebol para poder rachar o crânio de algum desgraçado, fica-se facilmente com a ideia de estar a ver um futebol decadente que só nasceu para meter nojo aos cães. Mas pelo menos agora já percebo a razão que levou o LFV a prometer aos benfiquistas de que o Benfica iria ganhar a Liga dos Campeões nos próximos 10 anos graças aos produtos da formação. Senão vejamos, se os tubarões mudarem todos para a Superliga, e, por consequência, a "Champions" virar uma espécie de 2ª divisão para clubes de 2ª dimensão...é inegável que, assim, sem a força e concorrência dos clubes grandes, será bem mais fácil para o Benfica poder arrebatar a Taça nos anos em que o FC Porto estiver a jogar mal.

E acho que seria um sonho para o "orelhas" poder beijar a "orelhuda"...