21 junho, 2008

Ladrão que rouba ladrão...

O nosso mui amado 1º ministro José Sócrates afirmou no fim da Cimeira de chefes de Estado e de Governo que Portugal pode vir a aplicar a chamada taxa "Robin dos Bosques", um imposto que incide sobre os lucros das companhias petrolíferas e que depois de cobrado será posteriormente aplicado em causas de carácter social.


Como é sabido pela maioria das pessoas, Robin dos Bosques era um ladrão foragido da lei que roubava outros ladrões (o falso Rei) e de seguida entregava os seus dividendos aos pobres.
Ora, se analisar-mos isto como deve ser, essa taxa poderá tornar-se muito facilmente conhecida por taxa do "ladrão que rouba ladrões"....

Irónico, não é?

Mas uma vez que o Sócrates ainda está muito longe de ajudar os pobres (ou de pensar sequer!)...não seria melhor essa taxa ser rebaptizada com uma designação mais adequada, do tipo: "Taxa Arsène Lupin"???

Juro que foi só uma ideia...
.

6 comentários:

  1. Eu como sou portuguesa aproveitava para homenagear o homólogo portugês do Robin dos Bosques e colocava o nome de "Taxa Zé do Telhado". Ainda por cima era um homem do Norte (só podia) e vivia para os teus lados. Imperdoável não te teres recordado dele.


    :-)))

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Nina, tenta acompanhar o meu raciocinio.
    O "Zé do telhado" era conhecido por ser um espécie de Robin Hood português, porque roubava também ele os ricos (os ladrões) e entregava posteriormente parte daquilo que roubava aos pobres.
    Ora...se o Sócrates não pode ser comparado com o Robin Hood por não dar aos pobres, também não poderá ser comparado ao Zé do telhado já que a figura é muito similar.(embora eu não me importasse nada de poder fazer a comparação com este último já que no percurso da sua vida ele foi preso).

    Trouxe a comparação com o Arsène Lupin, porque esse era um ladrão que roubava a elite social e não dava nada a ninguém.
    Percebestes agora a ideia?

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Ahahahahahahahah.

    Tens umas piadas muito giras, tens...

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Desculpem lá, mas alguma coisa me escapa.
    Pensem nisto:
    Se o governo aplicar uma taxa às petrolíferas, imaginem onde é que elas vão buscar o dinheiro?
    a) Ao vencimento dos deputados.
    b) Ao vencimento dos administradores das petrolíferas.
    c) À casa da Mariquinhas.
    d) Ao bolso dos portugueses, aumentando o preço dos combustíveis.
    Lá dizia a grande Ivone: "Ai Agostinho, ai Agostinho, vai um copinho, este país é um colosso, tá tudo groso, tá tudo grosso..."
    Isto é uma forma de legitimar ainda mais o aumento dos combustíveis e calar o bico a uns quantos, ditos das obras sociais, que habitualmente "mamam" na têta do estado.
    Mas posso ser eu que estou a delirar!....

    ResponderEliminar
  5. Victor concordo com o teu raciocínio.
    Digamos que até juntam o útil ao agradável...e assim, como quem não quer a coisa.
    Pensador essa da "taxa Arséne Lupin" também me parece a mais adequada...gostei. Tens cá umas ideias!!!! :)

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."