02 fevereiro, 2009

A trindade do poder

«..Ainda a missa não tinha acabado no mosteiro de Pedroso, em Gaia, e já o presidente da Câmara, Luís Filipe Menezes, se apoderava no púlpito prometendo obras no templo, assim como noutras freguesias. E os fiéis aplaudiram, entusiasmados..» (Sobre Filipe Menezes, Publicado no JN)


- Parece que agora, a Igreja Católica já não se coíbe de manifestar, publicamente, a sua conivência com certas propagandas políticas.
De hoje em diante, no decorrer das missas já será possível ver num único espaço, religião, política e.....ainda não há, mas dizem que muito em breve, poderá haver também um pouco de futebol, para que a digníssima "Trindade do poder" possa ficar sempre completa...

4 comentários:

  1. Mas a igreja alguma vez se coibiu de manifestar a sua conivência com certas propagandas políticas?

    O contrário é que seria de admirar.

    Bj

    ResponderEliminar
  2. Nina, O meu espanto não advém do facto de a igreja ser conivente com certos interesses políticos, porque se analisarmos isto com deve ser, a Igreja em si não passa de uma via política engenhosamente camuflada...mas agora, espanta-me que já não se queira dar ao trabalho de disfarçar/esconder e tenha decidido fazê-lo PUBLICAMENTE!

    Isto é sem palavras, fiquei alucinado de todo!

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Vê-se bem que não estás habituado a ir à missa nas aldeias do nosso País, ahahahah

    ResponderEliminar
  4. Agora?

    Desde sempre a igreja teve esta promiscuidade com a politica!

    Aliás a santissima trindade sempre foi: igreja, politica e poder económico!

    beijooo trintão

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."