27 abril, 2017

O apito encarnado...



Hoje apetece-me falar um pouco de futebol. Como é sabido, ainda que haja alguns sonhadores por ai que teimam em não perder a fé, desde o empate entre o Porto e o Feirense que o titulo de campeão da 1ª Liga de futebol deste ano ficou mais do que decidido e será entregue ao Benfica para o mal da verdade desportiva, é certo, mas também para o manifesto bem da nação. Tratava-se pois de um verdadeiro desígnio nacional atribuir este "Tetra" ao principal clube da capital pois caso contrário seria muito difícil de perceber toda uma série de acontecimentos bizarros que sucederam ao longo da época. Ainda hoje me pergunto como foi possível deixar viver o escandaloso "milagre" de uma equipa sofrer apenas uma grande penalidade ao fim de mais de um ano de competição - e isto porque foi impossível esconder a asneira do seu guarda-redes Ederson no jogo contra o Sporting...pois caso contrário acho que nem essa seria marcada-. Bem, como é bem sabido, regra geral quase ninguém suporta o narcisismo doentio dos benfiquistas e isso até foi preponderante para eu hoje ser um simpatizante do Porto. Detesto pessoas que se fazem de moralistas quando são maltratadas - como se as suas cuecas não fossem tão borradas como as dos outros - mas que depois revelam-se perfeitos cretinos quando ficam na mó de cima. O Benfica encarna essa filosofia na perfeição pois andaram anos a fio a chorar pela verdade desportiva mas agora que estão a ser levados ao "colinho" é vê-los todos neste absoluto e constrangedor silêncio, que por vezes chega a ser ensurdecedor. Mas ainda assim tenho que lhes dar algum valor. Confesso que achei delicioso a forma bastante subtil como conseguiram afastar tão prematuramente o Sporting da corrida ao titulo na única oportunidade que tiveram, e mais tarde o jeito como conseguiram crucificar também o renascido F.C.Porto desta feita com a ajuda preciosa dos árbitros - clube esse que já davam como clinicamente morto mas cujo novo fôlego chamado "Efeito Soares"  fez tremer algumas jornadas os pilares frágeis da grande catedral -. Sim, sem sombra de dúvidas que o Benfica foi inteligente e será Tetra-campeão de futebol este ano mas desconfio que para a história dos verdadeiros amantes desta modalidade de desporto, exceptuando obviamente os 6 milhões de adeptos benfiquistas que dizem circundar por ai (o que muito sinceramente duvido!) e que jamais aceitarão com bom animo tal ultraje, esta conquista poderá tornar-se também sinónima de mais um vergonhoso caso "Apito Dourado" mas desta feita em versão mais soft, encarnada e moderna. A expressão não é minha e nem sequer será nova mas para dar mais ênfase ao pensamento acho que daqui para a frente podemos apelida-lo de "Apito Encarnado".
Deu-vos vontade de rir? Não faz mal, de certa forma já contava com isso, mas olhem que não deviam. Desconfio que depois de lerem os argumentos que irei apresentar em seguida vocês são bem capazes de ficar um bocadinho desconfortáveis. Mas deixemos lá os "entretantos" e passemos ao que realmente interessa. Na minha perspectiva, o que mudou de uma caso para o outro centra-se apenas no "Modus operandi" utilizado (mais discreto e elegante sem dúvida alguma!) e uma dose extra de profissionalização. Senão vejamos:
Isto há coisa de 5 anos para cá creio que o Benfica soube avaliar com grande sucesso a nova conjuntura de factores que surgiu lentamente no futebol português, concebendo em seguida um plano de acção muito eficiente para provocar a troca de papéis com os grandes protagonistas da época (Porto, obviamente) e garantir também a sua hegemonia para os próximos 20 anos. E como fizeram eles isso? Muito simples. Ainda que o F.C. Porto não o tenha percebido inicialmente, era visível que, com ou sem provas na panela, o efeito "Apito Dourado" ia dar um caldo tão corrosivo e avassalador que acabaria por provocar danos demasiado irreparáveis na sua estrutura e reputação. Durante esta última década, para além da população em geral, todos os agentes afectos ao mundo do futebol cresceram ao sabor desse caldo cultural do Porto ser malfeitor, malabarista, enganador, gatuno, vigarista, corrupto e corruptor de árbitros, enfim...fruta seca, rebuçados da tosse, cafés, capuccinos, blá blá blá e todas essas tretas. Para esse efeito contribuíram ferozmente algumas personalidades ligadas ao Benfica que detinham posições de poder (Lembram-se do "Apito Final"?), o "Contra Informação" da RTP que fazia sátiras gratuitas do Dr Jorge Nuno Pinto da Costa, os Livros da Carolina Salgado, etc..Desses novos agentes do futebol que citei anteriormente, e devido ao desaparecimento de muitas figuras no sector da arbitragem, seja por cansaço, motivos ou situações diversas, reformas, etc.. surgiu em cena uma nova vaga de árbitros inexperientes e sem crédito dado para trabalhar na 1ª Liga, isto é, aqueles que hoje ficaram conhecidos como os "Árbitros Proveta" porque chegaram a internacionais sem nunca terem dado quaisquer provas para o efeito. Esses árbitros, como é fácil de imaginar, devido à tal influência dos média e dos ensinamentos recebidos nas diversas academias onde foram formados enquanto profissionais - De entre as quais é importante citar o exemplo dos 25 árbitros que em 2011 foram diplomados pelo Benfica em parceria com o INATEL e o ACIDI (que muito provavelmente apenas servirem de fachada) -, já vinham com uma nuvem cinzenta a pairar sobre as suas cabeças. Era aquela ideia estúpida de que não seriam comidos de cebolada como foram os seus antigos colegas de profissão e que jamais iriam permitir que um clube como o Porto pudesse continuar a fazer sucesso às custas deles. Digamos que  era tempo de acertar contas com o passado. De punir o prevaricador. Ainda que acredite, piamente, que eles tencionassem apenas marcar a diferença ou quebrar um ciclo que julgavam viciado por assim dizer mas, porém, esqueceram-se do um principio fundamental. Esqueceram que todos aqueles que querem tapar de um lado acabam sempre por destapar do outro e no "outro" já havia gente com planos para comê-los de cebolada sem ser o Porto.

Fazendo algum aproveitamento da morte recente desse grande jogador que foi Eusébio, foi nessa altura que entra em cena a ideia inteligente do "Kit Eusébio" e dos Vouchers oferecidos a todos os árbitros, observadores, delegados de jogo e muita outra gente ligada ao mundo do futebol. E porquê? Pela mais simples das razões. No mundo da culinária utiliza-se muito a técnica do: Menos é Mais. Porquê conceber planos demasiado elaborados quando se pode perfeitamente fazer o aproveitamento do poder da subjectividade das pessoas?. Confusos? Mas olhem que isto não tem nada de confuso. É sabido que em termos de opinião nós os portugueses devemos ser dos povos mais estúpidos e influenciáveis no mundo inteiro. Por mais que queiramos parecer pessoas integras e imparciais a verdade é que formamos facilmente uma opinião tendenciosa sobre todas as coisas que vamos conhecendo à nossa volta. Essa opinião baseia-se quase sempre no principio do: "Se gostar de ti, serei teu amigo para a vida, mas se não gostar...nada que faças me fará mudar de ideias pois irei detestar-te sempre". Eu sei que isto assim parece demasiado simples mas isto é como em tudo na vida meus amigos. Quando alguém nos trata bem, nos respeita, nos bajula a toda a hora e nos mima com ofertas...não temos nós tendência para gostar dele ou, pelo menos, ser amigo dele? Pode alguém em boa consciência traçar diferenças entre oferecer "Fruta para dormir" (Que a sociedade associou imediatamente a "prostitutas" por uma questão de rima poética) e oferecer "Vouchers"? O Benfica não queria comprar favores, porque isso sim seria claramente um crime com consequências óbvias e eles tinham equipa para ganhar os jogos, assim, em vez disso, é da minha opinião que fizeram uma autêntica operação de charme apenas com a intenção de ficar nas boas graças dos jovens e novos árbitros e outras pessoas com poder de decisão.O resto é muito fácil de adivinhar e não é preciso fazer mais nenhum desenho: O F.C.Porto, como já disse, era o bicho papão, a besta negra que urgia abater face ao passado vergonhoso que a imprensa cansou-se de lhe atribuir gratuitamente para vender jornais e fazer audiências. O Sporting que até ai era um clube snob mas sossegado, e que geralmente não chateava ninguém, passou de repente a contar com um Sr Bruno de Carvalho muito irrequieto com o vício de acusar toda a gente, fazendo guerra contra tudo e todos à sua volta, sem olhar a meio e palavras, largando todo o tipo de acusações como se de bombas se tratasse a todos os agentes do futebol, especialmente os árbitros. Independentemente desse sujeito ter ou não a razão do seu lado, a verdade é que o presidente do Sporting escolheu a pior forma de agir em público. Ao atacar toda a gente indiscriminadamente ele acaba por transmitir a imagem de ser uma pessoa muito instável, temperamental e de pouca confiança, porque muito provavelmente poderá ser capaz de destruir ou matar tudo à sua volta para atingir os seus fins ou do clube que representa. Assim, o que é que sobrava no meio de todo este panorama doentio? Ora ai está, muito bem, vocês conseguiram adivinhar. Sobrava o integro (coff...coff...que tosse) e vitimado Benfica. Aquele que, para 6 milhões de pessoas, foi duramente roubado durante largos anos pelo Porto, pelo Papa Pinto da Costa, pelo "Bobby", o "Tarreco" e blá bla bla mais uma vez toda essa conversa de chacha, e que agora aparece com sorrisos, "Kit Eusébios" e Vouchers para toda a gente poder comer ao domingo nos restaurantes com a família ou os amigos. De repente abre-se um novo mundo de oportunidades e toda a gente tinha ganho o direito de ficar com o rabo lambido (que mais não é senão o verdadeiro sonho dos portugueses). É claro que no meio de muitos, haveria sempre quem ficasse reticente, mas mesmo para quem tivesse problemas de consciência em aceitar essas ofertas podiam sempre oferecer os ditos Vouchers aos seus amigos mais próximos ou à família para que fossem comer no lugar deles e pronto, lá estava o problema resolvido.
Ora ai está, viram como as coisas até são fáceis de fazer? Agora já se torna mais fácil perceber aquilo que o Porto apelidava de "Manto protector" e toda essa displicência verificada ao longo da época face aos erros cometidos pelo clube da luz. No meu entender o Benfica fez uma jogada muito forte porque soube entrar directamente no coração dos árbitros (tirando agora proveito disso) enquanto que os seus rivais cabia-lhes fazer o papel do lobo mau (F.C.Porto) e do patinho feio (Sporting). E pronto, já disse...e agora que terminei aguardo pacientemente pelos vossos 6 milhões de insultos. :)

Resultado de imagem para vouchers benfica


1 comentário:

  1. Estupendo!
    E o pior é que faz todo o sentido. O texto pareceu-me um pouco embrulhado mas acho que transmitiu uma ideia muito interessante. Gostei e prometo vir cá mais vezes. Parabéns pelo Blog.

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."