19 março, 2011

Alguém me explica isto?

A ser verdade o que foi anunciado há dias pelo Ministro dos Finórios Teixeirinha dos Santos, de que o saldo da execução orçamental dos dois primeiros meses do ano ao nível da Administração Central e da Segurança Social foi de 830 milhões de euros, alguém sabe me explicar qual foi a razão que levou o governo a sentir necessidade de inventar um  novo PEC?
Se as medidas de Austeridade - que já por si são horríveis e estão a arruinar a generalidade dos Portugueses - já estavam a dar os seus frutos, porquê meter outro PEC para cima do galho?
Ainda por cima numa altura em que existe uma forte contestação e um sentimento "revolucionário" a crescer nas ruas, ao som dos "Homens da Luta" e dos "Deolindos".
Não dá simplesmente para entender. Porquê este suicídio politico?

Acho natural que o Passos Coelho tenha aproveitado o PEC4 como pretexto para iniciar a sua almejada crise politica, ainda para mais depois de ver que o governo estava a conseguir finalmente acertar nas contas públicas e a produzir saldos positivos (Lancem Foguetes, Dobrem os Sinos!). Acho também natural que um eventual chumbo do PEC na assembleia possa provocar a entrada do FMI no nosso país e que o governo queira fazer também disso pretexto para justificar a sua eventual demissão (que só peca por tardia, diga-se).

O que não entendo, é todo este compasso de espera. Caramba, mas de que raio estão eles à espera para deixar o FMI entrar em Portugal? Oh maldição! Mas será que ainda não vai ser desta?
Desampara a loja oh Teixeirinha! Dá de frosques, pá! e não te esqueças de levar o engenheiro da treta contigo!
Deixem-nos respirar!
Que venha o FMI de uma vez por todas, e que ele fique por cá pelo menos uns bons 50 anos, porque só assim conseguimos evoluir e ficar protegidos de oportunistas, de farsantes e da ganância criminosa de pessoas da vossa laia!

3 comentários:

  1. Estamos cada vez mais afundados. Eleições são necessárias.

    ResponderEliminar
  2. Acho absolutamente incrível que numa altura em que se pedem sacrifícios a todos os portugueses em geral, e aos funcionários públicos em especial, se vá gastar cerca de 30 milhões de euros numas eleições que vão dar do mesmo. Porque quer se queira, ou não, o PSD vai ter que respeitar os compromissos já assumidos pelo Estado Português perante as instâncias internacionais. Os cerca de 30 milhões davam jeito para outras coisas bem mais importantes. Se estão á espera que mude alguma coisa...

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. S*, não creio que as eleições possam mudar muita coisa.
    Regra geral, em Portugal só servem para trocar a identidade dos ladrões.
    Digo-te já que não dou um tostão que seja pelo Passos Coelho.

    Nina, se os 30 milhões não forem gastos em eleições, serão gastos noutra parvoíce qualquer.
    Gado ruim não tem desvio... :)

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."