30 maio, 2011

É injusto, disse ela...


"Não é justo! Não é justo!" gritou Soraia, de 16 anos, à porta do Tribunal de Instrução Criminal, em Lisboa, na qualidade de suposta namorada (ou uma delas pelo menos) do Rodolfo, o tal delinquente que encomendou e filmou o espancamento da Filipa, miúda de 13 anos, com intenção de se auto-popularizar na sua página pessoal do facebook.
Os gritos de dor desta miúda fizeram-me relembrar, por alguns momentos, as lágrimas enternecedoras deixadas por outra "apaixonada" muito conhecida, do seu nome Filipa Sobral, que, por ser a namorada do Henrique Sotero, o segundo Engenheiro mais conhecido do país (o primeiro é José Sócrates), vulgo "Violador de Telheiras", revelou perante o colectivo da 8.ª Vara Criminal de Lisboa que continuava apaixonada pelo HS apesar de este estar acusado de vários crimes de violação e abuso sexual.
- Não é justo Sr Juiz, não é justo! Ele sofre de Cleptomania!

Eh pá, tenho que vos confessar que sou totalmente contra as injustiças e já por isso não posso deixar de sentir-me emocionalmente afectado com os gritos e apelos sofridos destas duas miúdas.
Porra gente, não conseguem perceber o quanto elas sofrem?? Não é justo....não é justo...

Bom, quanto a ti Filipa, aconselho-te vivamente que recorras a um bom psiquiatra ou então, talvez, que encontres um novo namorado, rapidamente. Não há como uma nova paixão para fazer esquecer uma antiga. Sei que o Henrique Sotero, devido à Cleptonãoseiquê dele, devia ser um individuo muito fogoso na cama, mas, se souberes procurar como deve ser e tiveres alguma paciência, estou seguro que acabarás por encontrar algo à medida das tuas necessidades.

E tu Soraia, sou forçado a dar-te razão. É realmente injusto.
É injusto que o Rodolfo esteja engavetado dentro duma cela e tu tenhas que permaner cá fora. É que tu devias estar lá dentro tu também, porque namorar uma besta daquelas devia ser considerado crime neste pais. Mas não desanimes, porque se guardas dentro de ti uma apetência natural para namorar bandidos, é natural que mais dia menos dia, sejas "arrastada" por um deles para uma vida criminosa e acabes por ser metida dentro de uma gaiola tu também. Sê paciente que o teu dia há-de chegar.

12 comentários:

  1. O que é preocupante é a leviandade com que parte da juventude encara esta situação. Houve um jovem que afirmou "o que uma brincadeira com um telemóvel pode dar". Uma brincadeira? Aquela violência gratuíta?

    As decisões dos tribunais devem ter em conta uma função que está algo esquecida: a função pedagógica.

    ResponderEliminar
  2. Nina, essa leviandade que mencionas está perfeitamente enquadrada dentro do sentido da mensagem que tentei expôr no post "Crescer á força".
    A banalização da violência por parte dos média e de outras instituições com responsabilidades sociais/educativas, faz com que manifestos de violência gratuita deste tipo sejam encarados como....algo normal ou até mesmo brincadeira.

    Sobre a função pedagógica, devo relembrar-te que os Tribunais não foram concebidos para ensinar, mas sim para julgar.
    Só a subjetividade de um Juiz é que poderá, eventualmente, torná-lo também pedagógo aos olhos de quem é julgado.
    Caso contrário, a função pedagógica está toda ela englobada dentro das consequências e dos castigos que vão advir dos nossos actos.

    Bjs :)

    ResponderEliminar
  3. Francisco a condenação só é eficaz quando o sentido punitivo da sentença está directamente ligado ao efeito pedagógico naquele que foi condenado.

    No meu ponto de vista a sentença tem sempre (deve ter)um sentido pedagógico.

    :)

    ResponderEliminar
  4. Mas há muita idiotice por aí fora... como é possível ainda proteger o gajo?

    ResponderEliminar
  5. Nina, mas o que tento explicar-te é que não adianta nada um juíz armar-se em professsor caso não haja, da parte do condenado, receptividade suficiente para ouvir lições de moral, entendes?
    Mesmo que a sentença tenha o sentido pedagógico que defendes, o sucesso da sua aplicação será sempre refém da subjetividade do condenado.
    Uns encaram uma sentença como uma lição, uma janela para a vida, uma nova oportunidade, mas esses são muitos poucos porque a maioria dos criminosos olham-na com desprezo. Vêem-na como um acto de arrogância, por parte de um sujeito nomeado pelo Estado para julgar, mas cuja "superioridade social" não é reconhecida aos olhos do julgado, aumentado assim o seu sentimento de injustiça.

    Nina, de nada serve tentar ensinar se o "aluno" não estiver interessado em aprender e bem sabes que nas cadeias, todos eles se clamam inocentes.
    :)

    S*, Infelizmente Portugal não tem prisões suficientes para encarcerar todos os idiotas que andam cá fora. Tem que ser à vez. :)

    ResponderEliminar
  6. Entendido.

    Mas não retira o carácter pedagógico da sentença.

    :)

    Nota - Agora pede-me desculpa, ahahahahah

    ResponderEliminar
  7. Um carácter que, quando aplicado, acaba por não auferir de muita - ou quase nenhuma - expressividade na regeneração comportamental do condenado.
    Nina, a apetência pelo crime está no ADN das pessoas, e por isso, não se resume apenas a uma questão de livre arbítrio.

    :)

    Nota: Desculpa.....hehehehe

    ResponderEliminar
  8. Que saudades disto, jesus nosso senhor lol

    ResponderEliminar
  9. Nem "fazES" ideia :)

    Ora, esqueci-me da parte mais...coise do comentário.
    Relativamente à agressão (aqui já directa) pela parte feminina, fiquei com possessa com o facto de, quando finalmente se estava a fazer justiça (ainda não tinha sido feita, mas até já era um avanço que se poderia considerar como tal) no nosso país (que é raríssimo!), aparecer o senhor Marinho a dizer que é injusto que uma adolescente/animalesca de 16 anos tenha a mesma "pena" de prisão que um individuo que mate alguém... Ok, só foram uns pontapesitos na cabeça...que a podiam deixar com graves deficiências ou mesmo conduzir à tal morte, que "como não ocorreu, não é grave...".
    Menos!

    ResponderEliminar
  10. Dys, é gente como o Bastonário Marinho Pinto que torna o nosso código penal tão confuso, ineficaz e disfuncional...e que por conseguinte, vai tornar a nossa justiça tão lenta e inapta.

    Marinho fala, fala, e fala, porque não foi a filha dele a ser espancada, porque se tivesse sido...ias ver como esta gente esquece rapidamente a nobreza dos valores que defendem...

    Não ligues. É tudo gente hipócrita.

    ResponderEliminar
  11. Eu não sei se se vão rir de mim à gargalhada, mas não faço ideia se ele tem ou não filhos. Mas se tiver, e a questão de ele aprender implicar espanca-los, eu trato disso!
    =D

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."