16 março, 2008

Tal como se previa a montanha pariu um rato


Embora seja quase sempre pelos maus motivos mas o certo é que já quase toda a gente deve ter ouvido falar uma vez por outra na imprensa ou TV, o nome da "Escriturária" Carolina Salgado.

Vou ser franco!
Não vou correr o risco de chamá-la de Sra porque se o fizesse estaria a cometer uma grave ofensa a todas as verdadeiras Sras que povoam o mundo inteiro.
E ficou fácil de perceber que a Carolina Salgado devido ao seu passado de Stripper em bares de Alterne e por tudo o que ela decidiu fazer da sua vida, ficou (a meu ver..) muito longe de merecer ser considerada uma delas.


Tem apenas 31 anos (embora pareça claramente ter muito mais..) e viveu durante 6 anos com o presidente do FC Porto Jorge Nuno Pinto da Costa numa altura em que o mesmo atravessava aquela fase de querer comer capuchinhos vermelhos (sim..porque para um homem com 70 anos, até a Carolina conseguia passar por um..).
Aos olhos da Carolina o JPC representava uma oportunidade única para deixar a vida da noite e o seu passaporte com entrada directa no famigerado mundo VIP com que ela sempre sonhou.
Mas para singrar nesse mundo seria preciso possuir uma personalidade adequada, coisa que a Carolina não tinha nem conseguia aprender.
Não tinha estofo!
E como seria alguma vez possível um homem de 70 anos conseguir saciar todos os apetites de uma mulher de 30? (Tudo bem que o Viagra faz milagres, mas até para ele existem limites!)
A separação era apenas uma questão de tempo ou já seria mesmo o objectivo inicial.
O dinheiro consegue comprar tudo menos o amor...


Não ficando satisfeita com as benesses que o JPC estava disposto a oferecer-lhe mas que toda a gente (até mesmo ela antes de conhecer o JPC) adoraria receber, decidiu vingar-se.
O plano era muito simples e tremendamente engenhoso.
Como o JPC era considerado no mundo do futebol como uma das figuras mais mediáticas e carismáticas de Portugal, fazendo-o provocar a sua volta por vias disso e desde há muitos anos um Tsunami de ódios e paixões, auxiliou-se da capacidade de escrita da conhecida jornalista escritora Leonor Pinhão (que nutre uma conhecida paixão clubística pelo Benfica) e de mais alguns apoios e patrocínios anónimos que de tão mesquinhos que são nem sequer merecem ser aqui mencionados, para publicar um livro muito polémico onde relata as suas experiências vividas ao lado de JPC que supostamente lhe terá permitido ser testemunha das ligações obscuras e o tráfico de influências que este último utilizava para beneficio próprio e para o clube do qual era dirigente.
Vejam lá, como se fosse possível um homem que não confia nem na própria sombra, cometesse a burrice de contar/mostrar esse tipo de coisas a uma mulher que conheceu numa boîte.
Francamente...é preciso ser-se muito inocente...
Mas o certo é que o livro saiu no timing perfeito (O apito dourado estava quase a bater no fundo) e tal como se previa bateu o recorde de vendas em poucos dias.
Carolina ficou rica.



Ela também sabia de antemão que na ausência de provas a sua "história" não passaria de especulação e poderia lhe valer um processo de difamação em tribunal, mas até esse inconveniente foi pensado ao pormenor.
O livro já vai na sua 14ª edição e já foram vendidos mais de 100 mil exemplares ao preço de 10,00 euros cada, o que feito as contas, mesmo que ela tenha recebido apenas metade do valor, fê-la ganhar até a data a módica soma de 500.000 euros.
Ora, não sei em que valor se situa o tecto para os crimes de difamação mas mesmo que ela seja obrigada a pagar 100 mil euros ao JPC terá sempre 400 mil de lucro...
E isto só do livro!...porque entretanto já foi feito um filme e a menina já foi convidada para posar em revistas, entrevistas diversas,etc..
É só dinheiro em caixa.

Mas nem tudo são rosas e ainda assim a Carolina cometeu alguns erros.
No sentido de corresponder aos interesses de quem patrocinou o seu livro ( e cuja única intenção era obviamente "queimar" o JPC) revelou no mesmo, de forma muito ingénua, que foi ela (supostamente a pedido de JPC mas ainda assim foi ela..) quem contratou os "capangas" que a 25 de Janeiro de 2005 agrediram violentamente o ex-vereador socialista Ricardo Bexiga.
Essa revelação transformou-a numa criminosa e provocou o seu envolvimento no processo do "apito dourado".

Reabriram-se alguns processos, cresceram novamente as espectativas no coração de 7 milhões de saudosos, chamaram-se os intervenientes a comparecer em tribunal ...
E tal como se previa...a montanha pariu um rato.
A Carolina baralhou datas, confundiu pormenores sobre alegados jantares, esqueceu-se de dados, não soube especificar os jogos, foi....hilariante!
Fez lembrar aquele labrego de caserna que jura saber tudo o que se passa e acusa toda a gente de fazer maldades e na hora de provar o que diz engasga-se, gagueja, pragueja e não diz rigorosamente nada..
Não diz porque não sabe. É um fala-barato.
Uma coisa é ter a ajuda duma escritora para escolher as palavras que melhor soam na opinião pública e outra coisa é termos que ser nós a abrir a boca.

Muito francamente não faço a menor ideia do que o futuro reserva para esta mulher mas rica ou não, após tudo o que ela já fez, confessou ter feito, e sobretudo a imagem que ela demonstra de mulher vingativa que tenta destruir a todo o custo quem comete o erro de entrar na sua vida, sei , sem ser preciso muito esforço, como ela vai seguramente acabar...

Sozinha!..

9 comentários:

  1. Porra.....ó Pensador....por momentos fizeste-me ter pena do PC...HAHAHA....

    Eu até achava que eles estavam bem um para o outro! A mosca e a mer"#...melhor parelha não há..... ;)

    Ahhhhh....e só um apontamento...eu tenho uma amiga stripper...e ela não deixa de ser uma senhora pela actividade que exerce... ;)

    Abraçãoooooooo

    ResponderEliminar
  2. Sadeek, penso que não é a profissão que define uma pessoa mas a postura que se assume perante a vida (daí o Pensador ter acrescentado "e por tudo o que ela decidiu fazer da vida").

    E, a verdade, é que a Carolina Salgado (não tanto pela profissão que exerceu mas pela forma como "utilizou" essa mesma profissão), não merece grande consideração enquanto mulher. O que está aqui em causa é a forma como ela devassou a vida privada (íntima) dela própria e de terceiros. Infelizmente tem vindo a ser usual esta metodologia para se alcançar a "fama" (muitas vezes efémera). Quem assim sobe na vida (seja qual for a profissão que exerça), não merece a minha consideração.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. honestamente

    achas que a Carolina inventou aquilo tudo que vem no livro?

    achas também que foi ela de espontânea vontade que mandou bater no bexiga?

    achas que o PC é um tipo sério, e que 'acidentes' como os quinhentinhos e a viagem do calheiros são enganos?

    ResponderEliminar
  4. Solo, eu nem sequer discuto a veracidade ou não das afirmações da Carolina Salgado.

    Discuto a forma como as deu a conhecer e, mais ainda, o envolvimento dela nos alegados acontecimentos.

    Qualquer pessoa com coluna vertebral em primeiro lugar não entraria em tais "jogadas". Em segundo lugar, tendo conhecimento das mesmas daria conta às entidades competentes.

    O que é que a Carolina Salgado faz: participa nos alegados crimes. escreve um livro onde conta os crimes e pormenores da vida íntima, ganha dinheiro com isso e depois de abertos os inquéritos pelas entidades competentes tudo se lhe varre da memória...

    Convenhamos....

    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Ok Ni, ok! Já entendi a ideia do Pensador. E claro que eu concordo que esta mulher tem muito pouco de senhora....

    Mas enfim, cada um sabe de si, não é!?

    BEIJOOOOOOOOOOOOOOS

    ResponderEliminar
  6. o meu comentário não pretendia defender a Carolina - acho que o seu passado e o seu presente falam por si,

    faz-me confusão é que se tenha tornado numa espécie de limpa-caracter do PC, isto é, como ela é o que é, de fraca moralidade, o facto de falar mal do PC iliba-o a ele?

    é que eu ainda tenho bem presente a veemencia com que o PC a defendeu em episódio pitoresco que se passou no velhinho estádio da Luz (depois da Carolina ter sido insultuosa para com o presidente do Benfica).

    quer dizer, a Carolina passou a ser má pessoa e de fraca carne depois de se ter separado do PC?
    antes não era? onde foi que o PC a conheceu? e o que faz do próprio PC o facto de se ter relacionado tão profundamente com ela? Esse era o meu ponto - quanto a mim o PC ter-se relacionado com ela não foi erro - quanto a mim são feitos da mesma matéria - aliás acho-o que ele é muito, mas muito pior.

    ResponderEliminar
  7. Solo, a ideia que eu tinha da Carolina antes e depois é a mesma.

    E não, não limpa o PC.

    Nem limpa aqueles que se aproveitaram da falta de carácter dela para atacar o PC.

    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Estou de pleno acordo com o Solo!

    Pensador...porque escolheste fazer um post sobre a moralidade da Carolina (quando todo o mundo ja sabe o que ela e) em vez de falares da moral do JPC?
    Sera que es assim tao inocente para acreditares que ele e inocente nas acusacoes que lhe estao a ser feitas? Nao sabemos ja que o mundo do futebol tem as suas mafias?!!

    Se o JPC considerou a Carolina uma mulher digna de se chamar esposa dele nao achas tambem que lhe contou ou deixou que ouvi-se certas coisas (nao vou dizer que foi erro dele porque se nao fosse ela talvez nao viessemos a sabe-las).

    Bjs

    ResponderEliminar
  9. hehehe...já vi que este post causou alguma polémica entre o pessoal.
    (Nem é costume acontecer isso!)

    Minha gente, creio que levaram esta mensagem para outro caminho e como adivinho que a minha resposta vai ser longa, irei publica-la em forma de post, o que prometo fazer muito em breve.

    Mas adianto-vos já que ao defender a Carolina não tinha qualquer intenção de defender o PDC.
    Mas também não entro em fanatismos clubisticos, não me valem esse esforço.

    Para mim (e deveria ser para toda a gente) um homem é inocente até provas em contrário.
    Porque se assim não fosse, a esta hora estariamos todos na cadeia!

    Amanhã falaremos..

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."