24 janeiro, 2011

Sobre essa coisa das eleições...




Mais uma vez, e à semelhança do que tem acontecido nestes últimos 20 anos, a Abstenção foi a grande vencedora da noite com um recorde histórico de 53,37% dos votos.
Dos perdedores, destaca-se o contentamento do Prof. Aníbal Cavaco Silva que, por força das circunstâncias e ausência de qualidade de escolha, acabou por ser reeleito Presidente da Republica com menos meio milhão de votos do que em 2006 e o mais baixo resultado de sempre conseguido por um chefe de estado em processos eleitorais.
Manuel Alegre desiludiu, obviamente, Francisco Lopes idem, Fernando Nobre conseguiu surpreender tudo e todos (inclusive ele próprio se calhar..), o Defensor Moura quase que nem deu para lhe sentir o cheiro e o meu candidato (Branco) ficou-se apenas nos 4,26% dos votos, quase conseguindo atingir a marca de um José Coelho, também ele surpreendente.

Como podem todos ver, ninguém ganhou com estas eleições - nem os candidatos, nem o povo que votou neles -, e lá vamos nós ter que aturar o Cavaco Silva por mais 5 anos, que é como quem diz, vamos continuar a ser os mesmos fodidos de sempre...

O que vale é que eles andam a ficar tão muchos que já nem deve doer tanto...

6 comentários:

  1. E o meu candidato perdeu mas conseguiu mais do que eu estava à espera.

    :)

    ResponderEliminar
  2. Deixa-me tentar adivinhar...seria o Fernando Nobre?

    :)

    ResponderEliminar
  3. Admito que foi a primeira eleição em que não votei... deveria ter votado em branco.

    ResponderEliminar
  4. Nina, Terrivelmente!
    Se não fosse esta minha enorme capacidade de raciocínio...
    :))) Bjs

    S*, Posso discordar?
    Se votastes branco...não podes dizer que não votastes.
    O branco também é um voto.
    :)

    ResponderEliminar
  5. Não votei mesmo... E honestamente, é porque acho o cargo inútil.

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."