03 novembro, 2008

Houve quem o rotulasse logo de irresponsável...

Mas apesar de não gostar dele, reconheço que este José Sócrates, por vezes, revela uns pormenores deliciosamente inteligentes.
Em tempos de crise e em véspera de eleições, como se justifica uma promessa feita à Concertação Social, cujo acordo assinado com ela, não estamos seguros de poder cumprir?

É fácil..
Lança-se para a praça pública, com uma antecedência estratégicamente bem planeada, a intenção de subir o ordenado mínimo para 450 euros no próximo ano, sendo que o mesmo - apesar de parecer muito pequeno aos olhos da classe operária - vai cair muito mal no mundo empresarial devido ás dificuldades criadas pela crise financeira que assola no mundo inteiro.

E resultado!
José Sócrates ganha um "bode expiatório" para justificar o possível não aumento ou o aumento irrisório do salário mínimo no próximo ano (Eu quis! eu quis!...mas eles é que me cortaram as pernas!), ganha mais simpatia popular por passar a imagem de que está a remar a favor da população e ainda por cima...consegue ganhar o bónus suplementar de colocar o PSD no patamar do ridículo, quando esse partido viu a sua líder afirmar que o "Aumento do salário mínimo era um acto irresponsável".(Manuela Ferreira Leite caiu que nem um patinho!)

Realmente, melhor é praticamente impossível...

11 comentários:

  1. O que é uma injustiça, diga-se, eheheheheheheh

    ResponderEliminar
  2. Bem observado. Uma estratégia pouco ética, mas uma estratégia. O sr.engenheiro tem de fazer pela sua vida. Existem outros caminhos estratégicos....mas este dá menos trabalho. Mas é certo que futuramente irá colher também o descrédito por parte do povo.Mesmo que arranje mil e um "bodes expiatórios".

    Jito grande.

    ResponderEliminar
  3. Nina, Sabes o que geralmente acontece quando a gente se ri muito?
    Exacto!...é melhor não deitares muitos foguetes porque depois as tristezas são maiores...hehehe
    Mas dou-te razão, mal por mal, prefiro este.
    Bjs :-)

    Bird, Lealdade e ética são conceitos quase sempre desprezados no mundo da política.
    Já há quem diga que hoje em dia, um político se tiver intenções de governar, tem que ser demagogo. E muito francamente acredito que assim seja!
    Quanto ao futuro...só o futuro o dirá!
    Bjs :-)

    Tinta, O Houdini foi um homem tão convencido e tão confiante nas suas capacidades que acabou por morrer accidentalmente numa cisterna de agua.
    Esperemos que o Sócrates não cometa o mesmo erro.

    Bjs :-)

    ResponderEliminar
  4. Este mundo, este país, estes poliicos CANSAM-ME :P

    Beijo

    ResponderEliminar
  5. é a chamada estrategia de atirar areia aos olhos do povão...eheheheh

    ResponderEliminar
  6. Que o gajo é manhoso já me tinha apercebido, agora a pseudo inocência dos adversários é que me deixa de boca aberta. Será tudo combinado?
    Já não me espanta nada nesta politiquinha que temos!

    ResponderEliminar
  7. Bom aqueles que pensaram que foi uma mera estratégia o que dizem agora que patronato e sindicatos chegaram a acordo?

    ResponderEliminar
  8. Nina, Não pensamos que foi...continua a ser!
    Também está nas contas desta estratégia existir um entendimento entre patronato e sindicatos, e já por isso eu escrevi no texto deste post "não estamos seguros de poder cumprir"!
    A bola fica a rolar para os dois lados e seja qual for a direcção tomada o Sócrates fica sempre a ganhar.
    Além disso, ao contrário do que dizes, não houve nenhum acordo entre Patronato e Sindicatos.
    O acordo já foi feito em 2006 em Consertação Social!
    Os Sindicatos só estão a exigir a execução do mesmo.

    Tinta, Sim...enquanto não nos for negado a possibilidade de fugir de Portugal, temos sempre motivos para ter esperança...
    :-) Bjs

    ResponderEliminar
  9. Em concertação social apenas foi aprovado um plano exequível até 2011. O Governo antecipou. Foi sobre esta antecipação que houve acordo.

    Mas quando não gostamos de alguém é mais fácil ler apenas aquilo que nos interessa e proceder às nossas interpretações.

    Classificar a antecipação do aumento do salário mínimo nacional como uma estratégia pouco ética é, no mínimo, gozar com quem ganha mal.

    Mas digo, desde já, que se para dar uma vida mais digna aos portugueses for necessário utilizar estratégias políticas que coloquem a oposição encostada à parede, estou-me literalmente a borrifar. Mais importante que os partidos políticos são as pessoas.

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."