28 junho, 2017

O Gázofone...

Imagem relacionada
Imagem da Net

No mundo dos espectáculos, o maior talento que um artista pode revelar é a sua capacidade de surpreender o público. Para isso, todos os truques são permitidos desde que estejam em consonância com o seu papel de artista. Foi isso que aconteceu ontem à noite com o cantor Salvador Sobral na actuação que realizou no concerto "Juntos por todos". Na qualidade de músico cantor, nada lhe pareceu mais adequado do que surpreender o público com a invenção do Gázofone que não é mais nem menos do que a sua inusitada capacidade de produzir música através de peidos. « sinto que posso fazer qualquer coisa que vocês aplaudem. Vou mandar um peido para ver o que acontece» disse o cantor durante a interpretação da famosa música "Amar pelos Dois" com a qual conseguiu ganhar o Festival Eurovisão da Canção. Ora bem, que o Salvador é o campeão das indirectas, já muita gente tinha-se apercebido disso, mas que ideias podemos nós retirar de um discurso tão flatulento?Acho que através deste gesto ele quis criticar o facto das pessoas não terem qualquer sensibilidade musical, nem sentido critico, e limitarem-se apenas a aplaudir o "Fenómeno da Eurovisão" e a triste história de saúde que lhe está adjacente em vez de aplaudir o artista. Sou-vos franco, quando soube desta história fartei-me de rir só de imaginar a cara de espanto das pessoas que estavam lá todas a bater palmas e viram-se confrontados com esta situação. Mas depois analisei esse gesto mais a frio e....voltei a rir como um perdido. Salvador, não devias ter escolhido um espectáculo de solidariedade às vitimas dos incêndios para fazer isso mas para mim já és considerado o melhor artista português de sempre!

6 comentários:

  1. Traduziste por escrito o que eu disse esta manhã na "mesa do pequeno-almoço". Não me entenderam. A única reserva que coloco é se ele porventura não se deveria ter contido neste espetáculo específico. Mas penso que é superior a ele. Lamento mais que depois do espetáculo de ontem esta seja a notícia que mais sobressai do mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Nina, acho que a escolha do local (e do momento) foi sem dúvida inoportuna e foi talvez o único pecado que ele cometeu verdadeiramente, porque o peido, esse, foi muito bem entregue. :)

      Eliminar
  2. E mais uma vez, através de uma simples frase o Salvador conseguiu fazer com que hoje as pessoas falem dele, ainda mais. Já circula a notícia pelas redes sociais, com direito a "memes", pois claro. O rapaz está imparável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha...não tenho dúvidas que esse peido irá correr o mundo inteiro. Devia entrar no Guinness...hehehe

      Eliminar
  3. sinceramente só acho que é parvo. só porque disse meia dúzia de frases pseudo-inteligentes sobre o estado da música na atualidade (na opinião dele) quando merecidamente (deixa-me por cá isto senão atiram-me aos leões) ganhou o festival e com isso bué direito de antena, não quer dizer que cada vez que cospe cá para fora uma barbaridade, tenhamos que aceita-la como uma grande verdade ou que por causa disso se tenha tornado uma espécie de guru. a cena da bufa não só é uma porcalhice, como completamente imprópria para um concerto daquela dimensão e com aquele fim. seria na mesma uma cena porca em qualquer outro concerto, aceitar-se-ia talvez num daqueles concertos de bandas marginais em que já são expectáveis cenas "radicais". o mau gosto não é coisa que tenha a ver com modas ou pseudo-modernices. é só mau gosto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Solo, tenho uma irmã (portuguesa) emigrada em França que me disse certo dia que ele só ganhou a Eurovisão devido ao impacto e à projecção que o seu estado de saúde alcançou no exterior. Teria sido um vitória por "pena" segundo ela. Eu cá não concordo. Acho que foi muito merecido. Mas já nesse certame ele tinha revelado essa faceta cáustica e provocadora. Quando ganhou o concurso lembro-me perfeitamente de o ver dizer para as câmaras que tudo aquilo tinha sido comprado. Ele é mesmo assim, é espontâneo e não mede o alcance das palavras. Obviamente que ele não deu um traque verdadeiro no concerto. Simulou apenas e fez uma piada com isso. Mas ainda assim dou-te razão, mesmo achando graça reconheço que ele foi um pouco brejeiro e inoportuno. Mas como a juventude gosta destas "cenas radicais", pode ser que isto seja mais benéfico do que prejudicial para a carreira dele.

      Eliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."