20 junho, 2017

O novo homem

E satisfaz-me saber que, afinal, os homens já não são assim tão feios. Não, não são mesmo. Muito pelo contrário, o homem de hoje tornou-se perfeito. Não dei fé dessa transformação mas parece que se tornou assim. Pelo menos isto a julgar por aquilo que aprendi no Shiuuuu. Fiquei a saber que os homens já não são os insensíveis, brutos, grosseiros e estúpidos de antigamente. Nem são os desleais e porcalhões que passavam a vida a galar todos rabos de saia que desfilavam à sua frente. Não, nada disso. Os homens de hoje são lindos, amorosos, perfeitos. São seres sensíveis, carinhosos, que passam a vida a colher flores e a falar de amor e que já não sentem vergonha em falar dos seus sentimentos à mulher que amam. Infidelidade? Deslealdade? Mas qual quê, isso é coisa do passado. Este novo homem já não faz nada disso. Quando encontra uma mulher, só consegue vê-la a ela e passa o dia a dizer-lhe o quanto a ama. E começa a ser assim logo à partir dos 15 anos, segundo se consta.Ora digam-me lá se isto não é a coisa mais linda do mundo? Finalmente a mulher tem condições para ser feliz, agora que é tão valorizada e tão bem tratada pelo homem. Já não precisa de ser feminista, nem sequer feminina, porque o novo homem aceita tudo, faz tudo por ela e  o "machismo" foi completamente erradicado da face da terra. Para isto ser inteiramente perfeito, só falta mesmo pôr os homens a cuidar dos filhos, das roupas e da limpeza da casa enquanto as mulheres vão trabalhar. Uma ilusão? Mas que nada, no Shiuuuu não existe impossíveis...e é tudo anonimamente real.

Devia estar feliz, porque no fim de contas estaria a assistir à mais que retardada evolução do meu género. Mas, infelizmente, tenho o azar de não viver no planeta Shiuuuu. No planeta onde eu vivo, os homens continuam exactamente iguais ao que eram há 30 ou 40 anos atrás, não sendo visível qualquer tipo de mudança evolutiva. Na verdade até acho que eles hoje estão piores. Antigamente ainda havia um certo cavalheirismo da parte de alguns de nós. Se víamos uma mulher parada num cruzamento dentro do seu veiculo, por exemplo, tínhamos a gentileza de parar o nosso carro para deixar essa mulher entrar com toda a segurança na estrada principal. Hoje em dia já não vejo ninguém fazer isso, homem ou mulher, na rua agora são todos iguais. Ninguém facilita nada. Antigamente qualquer homem parava o carro se visse uma mulher diante de uma passadeira com intenção de atravessá-la. Era uma questão de cortesia mas também uma manobra de charme, de sedução. Hoje já só param se a mulher for nova, bonita, e se estiver a usar uma mini saia para poder fisgar-lhe o rabo à sua passagem. Podia estar a revelar aqui mais alguns exemplos - e davam para encher uma enciclopédia - mas estaria a fugir um pouco à intenção que me levou a escrever este texto. Por cá, dizia eu, as mulheres continuam a dizer cobras e lagartos dos homens. Por cá, os homens continuam a ser "todos iguais" na boca das mulheres. Por cá, os homens continuam feios.

E é por isso que, apesar do que muitas dizem, ou sonham, tenho que continuar a sentir-me triste. Sinto-me triste porque não vivo no planeta Shiuuuu e não posso partilhar do optimismo nem da felicidade que reina naquele mundo. Na parte insignificante do mundo real que me foi atribuído, nunca poderei conhecer gente como aquela anónima que diz ter sido sempre muito amada desde os 15 até aos 26 por vários amores que encontrou na sua vida. Coitadinha, como é linda a ilusão da juventude. A idade do maior potencial sexual. Como é linda a idade dos 15 aos 30, muitas aos 35, poucas aos 40, menos ainda aos 45 e muito raras depois disso, quando os traços da juventude são substituídos pelas marcas profundas da velhice que abusivamente decidem tomar o seu lugar, transformando os piropos dos homens em desencanto e puro desinteresse. Como é linda a juventude. Como é feia a velhice.



Miguel Araújo | Maridos das Outras from Miguel Araújo Jorge on Vimeo.

3 comentários:

  1. Nunca gostei de generalizações. Acompanhei a "discussão de ideias" no shiuuuu. A maioria falha ao pretender generalizar. Penso que os homens, uma vez mais de forma geral, já não têm tantos pruridos para manifestar afetos. Mas tal não significa que tenham mudado assim tanto. O que mudou foi a forma como as pessoas (independentemente do sexo) interagem umas com as outras.
    E tudo porque alguém se queixou de nunca nenhum homem lhe ter dito que a amava. Tenho 52 anos. Nunca nenhum homem me disse que me amava. Mas já me senti amada. Isso é o mais importante, certo?

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certo, de facto isso é o mais importante. Mas parece que por vezes as palavras são mais importantes do que os actos sobretudo para quem se sentir numa situação vulnerável.
      Não vi e não vejo ainda nenhuma mudança na sociedade que permita estabelecer com toda a certeza haver mais interacção ou mais respeito entre os géneros. Se algo mudou, foi sobretudo a interacção da mulher para o homem. Eles continuam exactamente iguais ao que sempre conheci...

      Bjs

      Eliminar
  2. Eu acho que os homens têm vindo a mudar, mas não o suficiente... ainda precisam de mais umas gerações de mudança!

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."