17 outubro, 2017

Bem vindos ao inferno.

Imagem da Net

E poucos meses decorridos após a tragédia de Pedrógão Grande que, como bem se lembram, matou 64 pessoas devido aos incêndios, eis que volta a acontecer uma nova tragédia em Portugal como resultado dos 523 fogos florestais que fustigaram o nosso país no dia de ontem e à custa dos quais já morreram 35 pessoas até agora. Já não tenho palavras para descrever tudo isto, chega até a parecer ser demoníaco o que está a acontecer à nossa volta. Demoníaco, que melhor palavra podemos nós utilizar senão essa para descrever todos estes horrores. Isto não pode ser apenas obra do acaso, tem que haver mais qualquer coisa nesta história que ainda não foi devidamente sinalizada. Pedrógão Grande pode ter parecido uma ironia maldosa do acaso e o resultado de uma série de factores que estavam destinados a correr mal mas 523 incêndios num só dia parece ser uma acção demasiado concertada para que possa ser considerada uma simples coincidência. Até parece que as pessoas estão a ser caçadas através do fogo e que estão a ser conduzidas para autênticas emboscadas mortais. Se nunca tivemos até agora qualquer tipo de historial de mortes provocadas por incêndios sem ser alguns bombeiros heróis que por vezes acabavam por sucumbir ao cansaço e à inalação excessiva do monóxido de carbono, como é possível que hoje em dia possa haver tanta gente a morrer por causa deles? Sim o governo tem culpa, sim a protecção civil tem culpa, a SIRESP tem culpa, a própria sociedade inteira tem culpa, mas mesmo tudo isto junto não consegue explicar tudo. Na minha opinião acho que temos estado a analisar este problema de uma forma demasiado errada. Achamos sempre que os incêndios são o resultado de mãos criminosas, de pessoas doentes, pirómanos e esquizofrénicos que sofrem de problemas mentais e que, por não haver uma legislação adequada, acabam sempre por ser considerados inimputáveis e são libertados poucas horas após terem sido presos. Até agora achamos sempre que cada um deles age por conta própria, sem premeditação, e que não existe qualquer tipo de relação nem nenhuma acção coordenada entre eles. Mas a pergunta que por vezes me coloco é muito simples: E se existir? E se viermos a descobrir que todos estes fogos florestais tem um propósito bem mais forte e fazem parte de um plano muito bem definido? Quero evitar levar isto para o campo religioso mas tudo aquilo que tem acontecido até hoje tem demasiadas características que combinam demasiado bem com a potencial presença de uma seita satânica. E se na doutrina deles o mundo será consumido pelas chamas quando chegar o dia do juízo final, acho que podem tirar facilmente as vossas conclusões...e elas não devem ser muito diferentes das minhas...

3 comentários:

  1. Estou revoltada e muito indignada com tudo o que aconteceu durante estes dois dias e o que ainda está acontecer. Não me conformo, não me vou conformar tão cedo!
    Não percebo a ligação a qualquer religião. A religião somos nós. A culpa é de cada um de nós e maior parte dela do Estado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a lei do equilíbrio da natureza. Do mesmo modo como existem pessoas extremamente boas no mundo, também existem pessoas extremamente más. Da mesma forma como existem pessoas que adoram um Deus metafisico, também há pessoas que cultivam a adoração a Satanás. A igreja de Deus pede aos homens para praticar acções boas e no extremo oposto temos uma igreja/seita que incentiva os seus fieis a praticar acções muito más.

      Eliminar
  2. Já vamos em 41 vidas perdidas... enfim!!

    ResponderEliminar

A frase mais estúpida que poderá ser dita aqui é: "Para Pensador pensas pouco..."
A mais inteligente é: "És tão lindo Pensador..."