29 agosto, 2008

O sexo e a Cidade

Chegou ao nosso conhecimento de que neste momento a Cidade, apesar do protagonismo e grande mediatismo que irrompeu na sua vida, continua inexplicavelmente sozinha, situação essa que já se arrasta há um bom par de anos.

Não obstante às diligências que foram anteriormente tomadas e a tudo o que já tem sido feito - sem sinais de sucesso - por vários organismos de competência reconhecida, no sentido de remediar esta situação dramática, o "Trollitadas" achou por bem abraçar pessoalmente esta causa, e é com muito agrado nosso, que vimos pelo presente comunicar a todos os nossos queridos leitores, de que, após uma longa e suada negociação, conseguimos finalmente chegar a um acordo com o nosso colaborador mais ilustre, vulgo Sir Pensador, tendo este último assinado um pré-compromisso com a nossa direcção, no sentido de meter pessoalmente as suas mãos no assunto logo que haja condições para o fazer e na primeira abertura que surja...



A cidade, poucos minutos após tomar conhecimento através da imprensa das resoluções tomadas na dita reunião, enviou um curto comunicado à nossa redacção onde manifesta claramente o seu imenso agrado e o júbilo que lhe invadiu a alma por ser alvo de tão belas atenções, dadas por tão distinta personalidade, aproveitando também a ocasião para felicitar o nosso bom gosto e a rara qualidade demonstrada pelo nosso sentido de escolha...


4 comentários:

Bird disse...

Pobre Cidade...
Tão carente e só...
Pensador, como és generoso!
Estou comovida por o teu trollitadas abraçar causas tão nobres!
:)))

O pensador disse...

Bird, Não é generosidade...é apenas uma obrigação moral que coabita com a minha consciência.
Sempre senti uma grande vocação para ajudar quem precisa e ser uma palavra amiga nas horas de solidão.
Hoje é ela, amanhã podes ser tu....hihihi

:-)))

Bird disse...

:)
Pensador;

Se for obrigação moral já não quero!

O pensador disse...

Bird, Separa as partes da minha mensagem anterior.

1ª parte
«..Não é generosidade...é apenas uma obrigação moral que coabita com a minha consciência...» (Cidade)

2ª parte
«..Sempre senti uma grande vocação para ajudar quem precisa e ser uma palavra amiga nas horas de solidão.
Hoje é ela, amanhã podes ser tu...»

A "obrigação moral" só se refere ao caso da "Cidade".
Para ti, como está bem explicito na mensagem, seria por vocação e não por obrigação...

;-)

Bjs